terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

'O Brasil Não é Um País Civilizado' Diz a Apresentadora de Telejornal Mais Controversa do País

O Brasil é um país violento, tanto em áreas urbanas como rurais. A questão da violência no país sul-americano tornou-se tão profundamente enraizada que agora é um obstáculo ao crescimento, como um estudo de 2013 pelo Centro de Política Hemisférica da Universidade de Miami, assinalou. "Como na maioria da América Latina, as forças policiais e de segurança [no Brasil] são mal pagas e mal treinadas", disse o estudo.

"Durante os protestos de 2013, ficou claro que as forças de segurança usaram força desnecessária para enfrentar as multidões em sua maioria pacíficas. Um desenvolvimento perturbador foi o aparecimento de jovens usando máscaras negras, que não têm medo de enfrentar a polícia com força ", diz o estudo, de autoria do Professor Riordan Roett, cientista político, cujo foco é a América Latina.

O estudo passa a notar que, devido à proximidade da Copa do Mundo de 2014 ", o descontentamento é generalizado no Brasil, mas não parece haver um consenso sobre o que deve ser feito primeiro e quem deve fazê-lo", já que brasileiros têm que lidar com duas opções: aceitar cortes nos folhetos generoso demais ou continuar a colocar-se com a infraestrutura terrível e serviços públicos.

De acordo com estatísticas oficiais, entre 2007 e 2013 mais de 33.000 pessoas foram assassinadas, cerca de 1.070 dos quais como consequência de assaltados. Algumas 5.412 pessoas morreram em conflitos com a polícia - e isso é só no Rio de Janeiro. No início deste mês um grupo dos chamados justiceiros espancaram e despojaram um rapaz que teria tentado assaltar um pedestre no bairro do Flamengo do Rio de Janeiro. A imagem do adolescente emboscado foi notícia em todo o mundo.

No Brasil, o caso tornou-se ainda mais notório depois de ser abordado por a apresentadora de telejornal Rachel Scheherazade, que apresenta o telejornal de maior audiência no SBT, a terceira maior rede do Brasil. Em um Op-Ed transmitido na semana passada, disse Sheherazade suas ações foram "compreensível", e aqueles que eram pró-direitos humanos e sentiram pena do menino deveria "fazer ao Brasil um favor e adotar um ladrão". Ela foi bombardeada com críticas, mas elogiada por seus comentários por muitos. Agora, um nome familiar em seu país natal, Sheherazade - cujo salário está indexado por mídia brasileira em cerca de US $ 1 milhão por ano - tem um ponto de vista sobre praticamente tudo, do famoso Carnaval do Brasil ("A festa para os ricos, para o bêbado e para o mau uso das forças policiais ") e Justin Bieber (" Apenas um menino crescendo "). Até o ex-presidente Lula da Silva ficou desconfortável com críticas de Sheherazade ao governo do Partido dos Trabalhadores.
Em uma entrevista exclusiva com a Forbes, Sheherazade explica seu ponto de vista. Aqui está um trecho dessa conversa:

Do ponto de vista civilizado e dentro do que se espera de um país civilizado, o que aconteceu com a adolescente emboscado pelos vigilantes está errado. Por que você o considera "compreensível"?

Os brasileiros estão desarmados e sem vigilância, pois eles não têm todos os meios para se defender. Em situações extremas como esta, onde não há nenhuma ordem ou a presença do Estado, é compreensível que as pessoas vão tentar se proteger. Ao unirem-se contra o crime não é um crime, é autodefesa. O que eu não aprovo é a insanidade da justiça pelas mãos dos vigilantes. Há uma grande diferença entre autodefesa e justiça. Além disso, o Brasil não é um país civilizado.

Ninguém acredita mais nisso. Basta ler as notícias e você vai descobrir o que o Brasil realmente é. Crianças queimadas em ônibus, presos sendo decapitado, os turistas sendo estuprados coletivamente ... E o que a imprensa mostra é apenas a ponta do iceberg. No que trata de civilidade chegámos ao fundo do poço.

Você está em uma posição em que tudo o que diga vai influenciar as pessoas de uma forma ou de outra, e você recentemente disse que a democracia do Brasil está "em risco." Você acha que há uma falta de opiniões no Brasil?

Acho que não. O que falta é mais espaço para o contraponto. O problema é que qualquer um que diz algo diferente do que muita gente pensa, ou o que a maioria das pessoas são ensinadas a pensar, acaba sofrendo todo tipo de perseguição. Já existem ameaças para controlar os meios de comunicação com o único propósito de silenciar aqueles que promovem a liberdade de expressão.

As suas observações sobre esse adolescente foram bastante polarizadas. Aparentemente, um monte de pessoas comuns parece ter concordado com você, enquanto muitos na mídia e outros setores fortemente condenaram o que você disse. Como se explica isso?


Alguns membros da mídia brasileira ainda estão jogando pelas regras de esquerdistas. Existem vários blogs e sites que são financiados com dinheiro público, eles são pagos para promover um "discurso oficial" e para difamar qualquer pessoa que disser alguma coisa contra o governo. É um jogo sujo, injusto e antidemocrático.

O caso do escândalo do "mensalão" é amplamente aceite pelos membros do Partido dos Trabalhadores no poder como "aceitável para o bem maior." Qual é a diferença entre a resolução deste crime como "aceitável" e o crime cometido contra a adolescente como "compreensível "?

Entenda que existem muitas pessoas boas dentro do Partido dos Trabalhadores, como em qualquer outra parte. Mas há também muitos esquerdistas do partido que estão inclinados para justificar qualquer coisa, até mesmo um crime, a fim de permanecer no poder. Foi o que aconteceu com o mensalão. Eles dizem que é tudo sobre a perseguição política, que na verdade nunca existiu. Também é desrespeitoso para o sistema judicial do Brasil. Quanto ao rapaz, ele acabou tornando-se um bode expiatório para discursos dúbios e para os políticos oportunistas que falsamente usam para defender os direitos humanos. Gostaria que essas pessoas e o governo se sentissem da mesma forma que pessoas e tivessem que tomar medidas para trazer segurança para uma sociedade que se tornou uma vítima da bandidagem que assola o Brasil.

Sem comentários:

Enviar um comentário