quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Os Arqueólogos Podem Ter Encontrado a Masmorra do Drácula Na Túrquia

"Ninguém sabe o que ele sofreu com a noite doce e querida no seu coração e o olhar que a manhã pode ter." - Bram Stoker, "Drácula"

Em Resumo

Quando algumas restaurações eram feitas no Castelo Tokat, na Túrquia, duas masmorras foram descobertas onde Vlad, o Empalador, a inspiração da vida real para o Drácula ficional, pode ter sido preso quando era um jovem príncipe, pelos otomanos no século 15. Alguns historiadores acreditam que essas foram as primeiras experiências que levaram à forma de comportamento sádico, de Vlad empalar as suas vítimas. Após a sua libertação, Vlad lutou contra os otomanos durante a maior parte do resto da sua vida, embora mais tarde morresse numa dessas batalhas.

A História Completa

Quando algumas restaurações eram feitas no Castelo Tokat, na Túrquia, duas masmorras foram descobertas onde Vlad, o Empalador, a inspiração da vida real para o Drácula de Bram Stoker, pode ter sido preso quando era um jovem príncipe, pelos turcos otomanos no início do século 15. "O castelo está completamente cercado por túneis secretos. É muito misterioso", disse o arqueólogo Ibrahim Cetin ao Hurriyet Daily News. "É difícil estimar em que sala Drácula foi mantido, mas estava por aqui."


Os turcos seljúcidas conquistaram a cidade de Tokat no final dos anos 1100. Mais tarde, em 1392, tornou-se parte do império otomano. O Castelo Tokat estava situado acima da cidade, nas colinas. O Príncipe Vlad III nasceu no início dos anos 1420 ou 1430 numa região montanhosa que faz agora parte da Roménia. Em 1442, Vlad III e o seu irmão mais novo foram capturados pelos otomanos quando o seu pai, Vlad II, os trouxe para uma reunião política. Os meninos ficaram no Castelo Tokat para garantir a lealdade do seu pai, numa guerra em curso.

Os otomanos tutelaram Vlad e o seu irmão e trataram-os bem. Depois do seu pai e irmão serem cruelmente assassinados, Vlad III foi libertado. Mas Vlad III guardou muito rancor daqueles anos e acredita-se que é a razão pela qual passou a sua vida a lutar contra os otomanos depois da sua libertação. Alguns historiadores acreditam que essas primeiras experiências em forma de comportamento sádico levaram a que Vlad empalasse as suas vítimas com pólos, razão pela qual ganhou o seu apelido, "Vlad, o Empalador."

A sua associação ao nome Drácula surgiu de uma maneira diferente. Quando o seu pai, Vlad II, foi admitido na Ordem do Dragão, foi-lhe dado o sobrenome, Dracul (que significa "dragão"). Isso fez com que Vlad III, fosse o filho de Dracul, ou Drácula.

A Ordem do Dragão estava obcecada com a derrubada do Império Otomano. Localizado entre o Império Otomano muçulmano e cristão na Europa, na Valáquia (onde ambos os Vlads governaram em diferentes momentos) muitas vezes tornaram-se o local das batalhas brutais entre as duas forças. Vlad III também dedicou a sua vida adulta à derrubada dos turcos.

Vlad III pode ter matado até 80.000 pessoas, exibindo 20.000 delas fora da cidade de Targoviste para enviar uma mensagem para os otomanos não invadirem. Ganhou esse tempo. No entanto, Vlad III foi eventualmente morto numa batalha com os otomanos em 1476, quando ele e um pequeno grupo de soldados foram emboscados.

Sem comentários:

Enviar um comentário