quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Este é um Nascer do Sol ou um Pôr do Sol?

 

Em Resumo

Digamos que tem uma fotografia do Sol ainda a pairar sobre o horizonte. Consegue afirmar se é um nascer do sol ou um pôr do sol? Um par de físicos atmosféricos que têm realizado uma considerável catalogação de pesquisa e documentado as cores que se apresentam com o início e o final do dia, afirmam que não se consegue dizer a diferença. Afirmam que os dois eventos são simétricos e são o reverso perfeito um do outro. Neil de Grasse Tyson, no entanto, diz que se pode usar um truque simples para determinar se é um nascer ou um pôr do sol. Se está no norte do Trópico de Câncer, o Sol deve mover-se para cima e para a direita.

A História Completa

Dizer a diferença entre o nascer e o pôr do sol pode, à primeira vista, ser bastante óbvio. Um acontece no início do dia e um acontece no final dele. Mas não é realmente disso que se trata. Se tirarmos uma fotografia do sol acima do horizonte, com o céu cheio com todos os tipos de cores que nos são familiares, conseguimos afirmar se é o nascer ou o pôr do sol?
A resposta é um assunto delicado.

De acordo com William Livingston e David Lynch, é improvável que sejamos capazes de afirmar o que quer que seja. A dupla de físicos atmosféricos tem realizado alguma pesquisa considerável sobre os (menores) fatores que diferenciam visualmente um nascer do sol e um pôr do sol.

O chamado "fenómeno crepúsculo", que acontece quando o sol passa abaixo do horizonte é totalmente simétrico. As cores aparecem em ordens inversas entre si, tornando-se tecnicamente impossível rapidamente se estamos a olhar para o nascer do sol ou para o pôr do sol.

Quando o sol se põe, descobriram que há uma série particular de cores que aparecem. Em primeiro lugar, o céu começa a assumir um brilho rosa, voltando-se para amarelo. Quando o sol se começa a definir, as cores ficam azuis e um fenómeno, chamado de arco das formas do crepúsculo, causa uma fina linha de luz amarela no horizonte. É quando as nuvens começam a projetar sombras no céu, que se transformam gradualmente na formação da sombra da Terra. Quando o arco do crepúsculo começa a desaparecer por completo, os rosas e os amarelos passam a roxos e a transição para a escuridão é feita.

Cerca de meia hora depois do sol desaparecer, não é incomum algumas formações, como montanhas, de repente parecerem mais brilhantes. O brilho, muitas vezes roxo e laranja-avermelhado, vem da luz solar que se reflete e é a luz púrpura que é a mais misteriosa. Difícil de fotografar, pode não ocorrer até mesmo durante meses ou anos.

Estudar e ilustrar as diferenças entre o nascer e o pôr do sol é particularmente difícil, porque a tecnologia moderna ainda não conseguiu isso da Mãe Natureza. Ainda não existe nenhuma maneira de capturar todas as cores em transição, com precisão de 100 por cento, o que torna muito mais difícil de comparar.

Há também variações nas cores do pôr do sol e do nascer do sol. Livingston e Lynch acrescentaram que olhar para o sol através de uma área onde há muita vegetação verde irá adicionar uma tonalidade verde à área logo acima do horizonte, enquanto que da mesma forma, um deserto irá adicionar matizes de amarelo-marrom às cores. Olhar  sobre a água é ainda mais problemático, porque o horizonte dica obscurecido pela escuridão.

Se não olhar para as cores e se tiver um pouco de informação extra, pode ser capaz de dizer se está a olhar para um nascer do sol ou para um pôr do sol. De acordo com Neil de Grasse Tyson, quando o Sol se levanta, está a subir e a dirigir-se para a direita, se for visto de qualquer lugar ao norte do Trópico de Câncer. Essa é também uma forma de reparar em erros nos filmes e a forma de se poder dizer a diferença entre um nascer do sol e um pôr do sol, em sentido inverso.

2 comentários:

  1. Que direita? É leste ou Oeste? O que ele está dizendo? Não faz sentido nenhum!

    ResponderEliminar
  2. Vcs não dizem coisa com coisa

    ResponderEliminar