segunda-feira, 5 de setembro de 2016

10 Lendas Urbanas Assustadoras de Todo o Mundo

As lendas urbanas são muitas vezes histórias emocionantes, que contêm muitos elementos folclóricos; e espalham-se rapidamente através de uma comunidade ou sociedade. Os contos são quase sempre dramáticos, como se fossem verdadeiras histórias que se relacionam com as pessoas e, embora algumas possam ser verdadeiras, muitas também podem na verdade ser cem por cento fabricadas.

Toques locais são muitas vezes adicionados à lenda, mas estranhamente, muitas vezes se ouve a mesma história exata, em diferentes versões, em todo o mundo. As lendas urbanas muitas vezes carregam uma advertência ou possuem algum significado que motiva a comunidade a preservá-las e a propagá-las. A única coisa certa é que algumas dessas lendas urbanas assustadoras têm sido a causa de muitas noites sem dormir para algumas pessoas.

10- O Doberman Asfixiado


Esta lenda urbana vem de Sydney, na Austrália, e possui uma história bizarra sobre um cão Doberman. Uma noite, um casal que tinha saído, voltou para casa e encontrou o seu cão asfixiado na sala de estar. O homem entrou em pânico e desmaiou, mas a mulher decidiu chamar um velho amigo, um veterinário e decidem levá-lo para o consultório.

Depois, ela decide ir para casa e colocar o seu marido na cama. Ela demora um tempo a fazer isso e, entretanto, o telefone toca. O veterinário grita histericamente que eles precisam de sair da casa imediatamente. Assim, sem qualquer pista sobre o que está a acontecer, o casal sai da casa o mais rápido possível.

Enquanto descem as escadas, vários polícias correm ao seu encontro. Quando a mulher pergunta qual é o problema, um polícia gentilmente diz-lhe  que o cão se tinha engasgado com o dedo de um homem. Um assaltante ainda deveria estar presente na sua casa. Pouco tempo depois, o ex-proprietário do dedo é encontrado inconsciente no quarto.

9- O Namorado Suicida


Esta história, também conhecida como "a morte do namorado" tem muitas variações diferentes e tem sido interpretada como um aviso generalizado para as pessoas não se afastarem muito da segurança da sua casa. Esta versão leva-nos até Paris na década de 1960. Uma menina e o seu namorado, ambos estudantes universitários, estavam a fazer amor no carro. Tinham esta perto da Floresta de Rambouillet, de modo que não seriam vistos por ninguém. Quando terminaram, o menino saiu do carro para apanhar um pouco de ar fresco e fumar um cigarro e a menina esperou por ele na segurança do carro.

Depois de esperar por 5 minutos, a menina sai do carro para olhar para o namorado. De repente, vê um homem nas sombras. Assustada, foge de novo para o carro e, enquanto isso, ouve um grito muito fraco, seguido por mais gritos.

Isso continua por alguns segundos, até que a menina decide que não tem escolha a não ser fugir. Ela tenta, mas não consegue ir a qualquer lugar; alguém amarrou uma corda ao para-choques do carro e a uma árvore próxima.

Ela sai do carro e percebe que o seu namorado está pendurado na árvore. Acontece que os ruídos sibilantes foram feitos pelos seus sapatos, raspando toda a parte superior do carro.

8- A Mulher da Fenda na Boca


Existe uma lenda no Japão e na China sobre uma mulher chamada Kuchisake-Onna, também conhecida como a mulher da fenda na boca. Alguns dizem que ela era a esposa de um Samurai. Um dia, ela traiu o seu marido com um homem mais jovem e mais bonito. Quando o marido voltou,  descobriu a traição; e, enraivecido e furioso, pegou na sua espada e cortou-a da boca até à orelha.

Alguns dizem que a mulher foi condenada a nunca morrer e que ainda vagueia o mundo para que as pessoas possam ver a cicatriz horrível no seu rosto e sentirem pena dela. Algumas pessoas afirmam que têm realmente visto uma bela jovem, que lhes pergunta: "Eu sou bonita?" E que, quando eles responderam positivamente, ela arrancou a máscara cirúrgica e mostrou-lhes a sua ferida horrível. Então, ela faz de novo a mesma pergunta e quem não responde positivamente, encontra a morte nas suas mãos.

Há duas morais para esta história: um elogio não custa nada e a honestidade não é necessariamente a melhor política.

7- A Ponte do Bebé Que Chora


De acordo com esta lenda, um casal estava a conduzir para casa, vindos da igreja, com o seu bebé, e discutiam sobre algo. A chuva caía torrencialmente e logo se viram obrigados a passar por cima de uma ponte inundada. Quando começaram a atravessar, perceberam que a água era mais profunda do que haviam pensado, de modo que ficaram presos e decidiram sair do carro para procurar ajuda. A mulher ficou para trás, mas deixou o carro por razões que só se podem tentar adivinhar.

Enquanto ela estava de costas para o carro, ouviu o bebé chorar em voz alta. Ela voltou para o carro, mas descobriu que o seu bebé tinha sido levado pela água. De acordo com a mesma lenda, se alguém for a essa mesma ponte, ainda se pode ouvir o choro do bebé (a localização da ponte é convenientemente desconhecida).

6- A Abdução dos Alienígenas a Zanfretta


A história da abdução de Fortunato Zanfretta tornou-se uma das lendas urbanas mais famosas na Itália ao longo das últimas décadas.

De acordo com as suas próprias palavras (originalmente de memórias recordadas durante a hipnose), Zanfretta foi abduzido por alienígenas chamados Dragos do planeta Teetonia, e experimentou repetidas abduções pelo mesmo grupo, durante um período de vários anos (1978-1981). Tão assustador quanto este caso possa parecer, parece que se pode pintar um quadro mais otimista das intenções destes visitantes, quando consideradas as palavras de Zanfretta durante uma seção de hipnose:

"Eu sei que estás a tentar vir com mais frequência... Não, não podes vir para a Terra, as pessoas ficarão com medo se olharem para ti. Tu não poderás fazer amizades. Por favor vai."

Zanfretta provavelmente deu mais detalhes sobre a sua abdução alienígena do que qualquer outra pessoa na história; os seus relatos detalhados podem fazer com que até mesmo o cético mais veemente faça uma pausa para pensar no caso. O caso de Zanfretta continua a ser um dos “Arquivo X” mais curiosos e fascinantes em todo o mundo.

5- A Morte Branca


Esta é uma história sobre uma menina da Escócia que odiava tanto a vida  que queria destruir todos os últimos vestígios de si mesma. Decidiu cometer suicídio e, pouco depois, a sua família descobriu.
Numa reviravolta horrível, todos os membros da sua família morreram poucos dias depois também, com todos os seus membros dilacerados. A lenda diz que quando se aprende sobre a morte branca, o fantasma da menina pode vir e encontrá-lo, batendo várias vezes à sua porta. Cada batida é mais alta que a anterior, até que se abra a porta e ela mate por medo de que conte a alguém da sua existência; pois o seu principal objetivo é impedir que alguém saiba alguma coisa sobre ela.

Como a maioria das lendas urbanas, a história é, provavelmente, nada mais do que a imaginação selvagem de alguém; mas, pelo menos, deixa boas dicas para saber quem poderá estar atrás da porta.

4- O Volga Preto


O automóvel Volga preto foi supostamente visto com frequência nas ruas de Varsóvia, na década de 1960, com raptores que estavam empenhados em arrebatar crianças. Segundo a lenda (e ajudada pela propaganda ocidental, sem dúvida) os altos funcionários soviéticos levaram o Volga preto para Moscou durante meados dos anos 1930, raptando meninas bonitas para o prazer sexual da classificação mais alta dos seus camaradas soviéticos. Outra versão desta lenda afirma que os vampiros, os sacerdotes misteriosos e os satanistas, entregaram o seu próprio corpo a Satanás e dirigiram-se para o carro Volga preto.

De acordo com versões diferentes, as crianças foram raptadas com a intenção de usarem o seu sangue como a cura para quem sofre de leucemia  em todo o mundo. Naturalmente, nenhuma destas versões é considerada verdade.

3- O Soldado Grego


Esta lenda menos conhecida fala de um soldado grego que, após a Segunda Guerra Mundial, voltava para casa para se casar com a sua noiva. Infelizmente, foi capturado pelos colegas gregos que tinham crenças políticas hostis, torturado durante cinco semanas e, finalmente, assassinado. No início de 1950, principalmente no Norte e no Centro da Grécia contavam-se histórias sobre um soldado grego muito atraente de uniforme, que aparecia e desaparecia durante a noite, e seduzia belas viúvas e meninas virgens com o único propósito de engravidá-las.

Cinco semanas depois dos bebés nascerem, o homem desaparecia, deixando uma carta onde explicava que havia retornado dos mortos simplesmente para espalhar a sua semente, para que os seus filhos pudessem vingar o seu assassinato.

2- Elisa Day


Na Europa medieval, aparentemente, vivia uma jovem chamada Elisa Day, cuja beleza era como a das rosas selvagens que cresciam a descer o rio, todo ensanguentado e vermelho. Um dia, um jovem veio para a cidade e imediatamente se apaixonou por Elisa. Eles namoraram durante três dias. No primeiro dia, ele visitou-a na sua casa. No segundo,  trouxe uma única rosa vermelha e pediu-lhe para encontrá-lo onde as rosas selvagens crescem. No terceiro dia, levou-a até ao rio, onde a matou. O homem horrível supostamente esperou até ela estar de costas e, em seguida, agarrou numa pedra, sussurrando: "Toda a beleza deve morrer" e, com um golpe rápido, matou-a instantaneamente. Colocou-lhe uma rosa entre os dentes e deslizou o seu corpo para o rio. Algumas pessoas afirmam ter visto o fantasma dela a vagar à beira do rio, o sangue a escorrer pela cabeça.

1- O Poço Para o Inferno


Em 1989, os cientistas russos na Sibéria perfuraram um poço de cerca de 14,5 quilómetros de profundidade, na crosta da Terra. A broca rompeu numa cavidade e os cientistas baixaram algum equipamento para ver o que estava lá embaixo. A temperatura era de mais de mil graus celsius, mas o choque real era o som gravado pelos seus instrumentos.

Só capturaram cerca de 17 segundos horripilantes de áudio antes do microfone ser derretido. Convencido de que tinha ouvido os gritos dos condenados no inferno, muitos dos cientistas pararam o trabalho imediatamente, ou então, pelo menos, a história assim o afirma. Aqueles que permaneceram lá, tiveram um choque ainda maior, mais tarde naquela noite. Uma nuvem de gás luminoso estourou, com a forma de um demónio alado gigantesco a desenrolar-se e as palavras "eu venci" em russo foram cauterizadas pelas chamas. Mesmo que hoje a história seja considerada uma farsa, há muitas pessoas que acreditam que este incidente realmente aconteceu; e a lenda urbana permanece até hoje.

Sem comentários:

Enviar um comentário