terça-feira, 6 de setembro de 2016

10 Lendas Urbanas Mais Aterrorizantes de Sempre

Mitos e lendas existem desde que os primeiros seres humanos se sentaram em volta de uma fogueira e contaram histórias. A história não tem escassez de assassinos em série maliciosos, loucos dementes e criaturas de pesadelos; e, quando as lendas e os assassinos se reúnem, criam-se algumas histórias aterrorizantes. Ouvimo-lo desde o dia em que nascemos: Não confies em estranhos. E, como seres humanos, instintivamente tememos as coisas que se escondem no escuro, porque sabemos que é onde os predadores se escondem.

10- Pegadas na Neve


Esta lenda urbana envolve uma adolescente que estava em casa com a sua irmã mais nova, enquanto os seus pais estavam fora da cidade. Depois de verem um pouco de televisão juntas, ela disse à sua irmã para ir para a cama e, em seguida, desceu as escadas para ver mais televisão. Eventualmente, ela ficou aborrecida com o que estava a ver e desligou-a, enrolou-se num cobertor no sofá e começou a observar a queda de neve através da grande janela de correr de vidro na sala de estar. Observou por alguns minutos, até que viu um homem a caminhar em direção às portas de vidro. Ele começou a puxar algo brilhante para fora do seu casaco e ela escondeu-se sob o cobertor, aterrorizada.

Depois de um tempo, retirou o cobertor e apercebeu-se de que o homem tinha desaparecido. Chamou a polícia, que imediatamente correu para o local para investigar. Após examinar o local, uma das primeiras coisas que notaram foi que não havia pegadas na neve. E não havia nenhuma forma das poderem ter escondido rapidamente. Intrigados, os agentes inspecionaram a residência e notaram pegadas molhadas no tapete, em linha reta até ao sofá onde a menina estava sentada. O louco tinha ido atrás dela, pois vira o seu reflexo na janela.

9- A Descoberta Aterrorizante


Existem várias versões desta história e a maioria delas começa com uma menina da faculdade que estava a estudar até tarde e, portanto, estava a passar muito tempo na biblioteca, em vez de estar no seu quarto do dormitório. Durante uma noite de estudos, ela percebeu que se tinha esquecido de alguma coisa no seu quarto do dormitório, pelo que decidiu fazer uma viagem de volta para ir buscá-la. Quando abriu a porta, encontrou o quarto escuro, mas imaginou que a sua companheira de quarto estava a dormir ou a estudar como ela. Não querendo perturbá-la, caso ela estivesse a dormir, ela deixou a luz apagada, agarrou no que precisava e voltou para a biblioteca.

Ao voltar para o quarto, encontrou a sua companheira de quarto deitada no chão com a garganta cortada. Mas a pior parte era a mensagem escrita com batom no espelho da casa-de-banho que dizia simplesmente: "Não estás feliz por não teres acendido a luz?"

Noutra versão da história, há uma mulher que vive sozinha num apartamento com o seu cão. Numa noite, foi acordada por um barulho estranho. Para tranquilizar-se a si mesma, baixou-se para onde o cão dormia, ao lado da cama, e sentiu-o lamber a sua mão. Satisfeita, voltou a dormir. Na manhã seguinte, descobriu que o cão tinha sido enforcado no chuveiro. No chão, ao lado da cama, estava um bilhete que dizia “Os humanos também sabem lamber.”

8- O Infeliz Acidente do Casaco


Esta lenda urbana começa num dia frio de inverno com um jovem casal que estava a organizar uma festa de batizado na sua casa para o seu novo bebé. Os convidados começaram a chegar e, quando foram recebidos pelos seus anfitriões, atiraram os seus casacos para uma cama que estava perto da sala principal. Primeiro eram apenas um casaco ou dois, mas depois todos começaram a colocar os seus casacos lá.

Em pouco tempo, todos os convidados tinham chegado e tudo estava em pleno andamento. Os pais decidiram que era hora de mostrar o seu novo bebé aos convidados, afinal, ele era o convidado de honra. Então, a mãe foi até à cama onde tinha deixado o bebé... e gritou de horror quando descobriu que ele tinha acidentalmente sufocado sob a pilha de casacos.

7- O Assistente do Posto de Gasolina


Já era tarde e uma jovem mulher estava a conduzir numa área desconhecida profunda no país. O seu carro era velho e ela percebeu que teria de parar para colocar gasolina em breve, ou teria que ir a pé. Deparou-se com um antigo posto de gasolina um pouco mais abaixo na estrada. Era uma estação à moda antiga, do tipo com um assistente que sai para bombear a gasolina e  isso definiu um sinal de alarme na sua cabeça. Mas ela sabia que não poderia ir muito mais longe sem reabastecer o carro, então, relutantemente, parou no posto de gasolina e pediu ao assistente para encher o tanque.

O assistente pareceu nervoso enquanto enchia o tanque, mas, eventualmente, terminou o trabalho e foi falar com ela para obter o pagamento. Ela deu-lhe uma nota de $20, ele examinou-a cuidadosamente, e disse-lhe que a nota era falsificada. O assistente explicou que teria de levá-la de volta ao seu escritório e chamar o seu gerente, porque a falsificação teria que ser comunicada ao banco. Uma vez que ele a convenceu a ir com ele, explicou que a nota não era falsificada, mas que ele apenas queria tirá-la do carro porque estava um homem com um machado escondido no banco de trás.

6- O Invasor de Casas Astuto


Embora as histórias específicas desta lenda urbana sejam apenas mitos, existe um tom arrepiante de verdade nelas, uma vez que já foi documentado que os invasores de casas usam táticas semelhantes a estas para entrarem nas casas das pessoas. De acordo com as histórias que circularam, alguém estava sozinho em casa, de madrugada, com muito poucas luzes acesas; apenas luz suficiente para indicar que alguém estava em casa e acordado. Alguém chega e, na calada da noite, começa a bater na porta e a gritar. Quando o dono da casa se aproxima da porta, as batidas tornam-se ainda mais insistentes, com gritos desesperados de alguém que afirma estarem a tentar magoá-lo.

Numa história, uma mulher estava em casa sozinha, quando ouviu uma mulher a bater na sua porta e a gritar por favor que a deixem entrar. Quando a mulher pergunta quem é, a mulher do lado de fora começa a gritar que está a ser atacada por um homem e que necessita de um lugar seguro para se esconder. Quando a dona da casa ouve atentamente, de fato consegue ouvir uma voz masculina, mas que está a falar normalmente, como se estivesse simplesmente a ter uma conversa com a mulher. A certa altura, a mulher olha pela fechadura da porta e consegue ver uma mulher vestida de preto e ouvir a voz do homem, que continua a falar suavemente para a mulher. Eventualmente, os dois foram-se embora, mas deixaram os contadores de histórias gelados até aos ossos. É difícil imaginar o que teria acontecido se eles tivessem conseguido entrar, mas provavelmente não teria sido agradável.

5- A Criança Perdida


Uma jovem estava a descer a sua rua, num dia normal de primavera, quando  viu uma criança pequena sentada ao lado da estrada a chorar. Parou para perguntar se a menina estava bem e a menina disse que estava perdida. A menina acabou por perguntar-lhe se ela poderia ajudá-la a encontrar o seu caminho para casa. Com pena da menina, a jovem concordou. Felizmente, a menina sabia o seu endereço e tinha uma ideia geral de onde a sua casa ficava. Em pouco tempo, as duas tinham percorrido todo o caminho. A porta da frente estava trancada e, uma vez que a menina era muito pequena para alcançar a campainha, perguntou à jovem se podia ser ela a tocar à porta.

A mulher tocou à campainha sem pensar duas vezes e imediatamente sentiu um choque através de todo o seu corpo. Acordou várias horas mais tarde completamente nua e rodeada por preservativos usados. A casa estava vazia, os violadores estavam muito longe e a criança estava longe de ser vista.

4- A Mulher Velha Que Pede Boleia


Esta história fala de uma jovem mulher que estava a sair de um shopping, muito tarde numa noite, e voltava para o seu carro. Ao aproximar-se do carro,  ficou surpresa ao ver uma velha senhora de pé, junto à sua janela do lado do passageiro. Um instante depois, notou que a janela do lado do passageiro tinha sido completamente destruída. A velha senhora explicou que tinha visto a sua janela partida e tinha decidido ficar a vigiá-la para ter a certeza de que ninguém tentava roubar alguma coisa.

A jovem apreciou bastante a ajuda da velha senhora e, uma vez que a velha senhora tinha perdido o autocarro, concordou em levá-la de volta para casa. No entanto, enquanto estavam a falar, ela percebeu que a velha parecia ter muitos cabelos e braços humanóides. Pensando rapidamente, atirou-se para a frente de um carro lento, forçando-o a parar. A "velha senhora" rapidamente desapareceu. Quando a polícia procurou o seu carro, descobriu que a velha senhora tinha escondido uma faca e um rolo de corda no banco de trás.

3- Os Vampiros da Gordura


As histórias dos vampiros da gordura não são novas. Estas criaturas eram chamados Pishtacos e são uma lenda peruana clássica. São conhecidos por perseguirem a noite em estradas desertas e usarem a sua magia por roubarem gordura aos viajantes. Recentemente, a lenda ressurgiu devido a prisões reais de membros de gangues no Peru, que supostamente raptavam viajantes, levavam-nos para uma casa segura e retiravam-lhes a gordura para venderem no mercado negro. Algumas estimativas dizem que cerca de 60 pessoas foram vítimas destes gangsters, antes deles serem apanhados.

Claro, alguns questionam a história oficial, em parte porque a maioria dos assassinatos não foram provados, mas principalmente porque têm dificuldade em acreditar que há algum tipo de mercado de gordura humana. Também foi considerado estranho que estes homens não tivessem interesse em vender qualquer uma das outras partes do corpo, mais valiosas. Talvez a resposta esteja na própria lenda. Os Pishtacos não teriam qualquer interesse noutros órgãos e vender gordura humana seria uma boa cobertura para esconder a sua verdadeira operação de alimentação da gordura dos vivos, para poderem sustentar a sua existência de mortos-vivos.

2- Não Abram a Porta


Uma mulher, de madrugada, estava ainda a navegar na Internet, na sua sala de estar, quando ouviu o som de um bebé a chorar à sua porta. Levantou-se e foi investigar o barulho, mas não conseguia ver nada pelo buraco da fechadura. Compreensivelmente, achou estranho que um bebé estaria a chorar à sua porta, especialmente tão tarde. Não sabendo o que fazer, decidiu apenas chamar a polícia.  Disse-lhes que estava a pensar em abrir a porta para verificar o bebé, porque tinha ouvido o choro e tinha medo de que o bebé pudesse rastejar para a rua.

Praticamente a gritar, o polícia disse-lhe que, sob absolutamente nenhuma circunstância deveria abrir a porta e que a polícia estava a caminho da sua casa. Quando chegou lá, a polícia não encontrou nenhum bebé ou qualquer evidência de que uma criança tivesse ali estado. A polícia informou-a de que já tinham recebido várias chamadas como esta ultimamente e que acreditavam que fosse o trabalho de outras pessoas que estavam a tentar enganar as mulheres a abrir as suas casas, usando uma gravação de uma criança a chorar.

1- O Grito Que Ninguém Ouviu


Em alguns campos universitários, é aparentemente tradição para os estudantes que vivem em dormitórios, soltarem um grito num momento designado. De acordo com as histórias, isso ajuda os alunos a libertar o stress, especialmente durante as semanas finais. Na semana de provas finais na UCLA, a tradição era que toda a gente gritasse à meia-noite para deitarem fora toda a frustração reprimida. Assim, como esperado, todos fizeram o seu ritual de gritos e o campos tocou com os uivos movidos a cafeína de uma horda de jovens exaustos.

Com o ritual completo, o campos ficou mais calmo e todos acabaram por ir para a cama, descobrindo na manhã seguinte que um dos gritos tinha sido real. Uma jovem havia sido violada, precisamente à meia-noite; o seu ataque programado para coincidir com o momento mais barulhento do ano. Ninguém a ouviu, porque o que é um grito entre centenas? Diz a lenda que, desde então, a tradição de gritar foi banida do campos da UCLA e que qualquer um que quebre a regra é punido com a expulsão.

Sem comentários:

Enviar um comentário