sexta-feira, 30 de setembro de 2016

10 Recetores de Órgãos Que Assumiram Traços dos Seus Doadores

As doações de órgãos e os transplantes têm salvo inúmeras vidas. No entanto, algumas pessoas afirmam ter recebido mais do que apenas o órgão. Não é um fenómeno; há cada vez mais estudos conhecidos como "memória celular" - a teoria de que as células dentro de um órgão realizam as memórias e os desejos da pessoa a quem pertenciam. Apesar de ainda estar muito à margem da ciência, à medida que mais estudos são feitos, mais e mais exemplos parecem concluir que a memória celular pode ser mais do que apenas uma teoria. Aqui estão 10 exemplos.

10- Claire Sylvia, Nova Inglaterra

Ânsias e Sonhos Estranhos


O transplante de coração e de pulmão que Claire Sylvia, de 47 anos de idade, recebeu, salvou a sua vida e fez dela a primeira pessoa na Nova Inglaterra a passar por esse processo. Mas ela ficou convencida de que, além dos órgãos vitais, recebeu alguns dos gostos do seu doador, como se as suas memórias tivessem ficado trancadas no seu coração e nos seus pulmões e, consequentemente, fluíssem agora no seu corpo. 

Afirmou a um repórter, quando lhe foi perguntado o que queria fazer em primeiro lugar após a operação, que estava "a morrer de vontade de beber uma cerveja." Isso foi estranho para Claire, porque ela nunca tinha gostado de cerveja. Nos dias seguintes, também descobriu que tinha desejos por alimentos que nunca tinha gostado ou mesmo comido antes, tais como pimentão verde, barras de chocolate Snickers e Chicken McNuggets do McDonald, algo que nunca sequer se tinha sentido tentada a experimentar.

Também começou a ter sonhos estranhos. Via um homem magro e jovem que ela acreditava que se chamava Tim. Mais especificamente, ela tinha as palavras "Tim L" na sua mente quando tinha os sonhos. Ao pesquisar nos obituários locais dos dias que antecederam o dia do seu transplante, descobriu Timothy Lamirande.

Timothy Lamirande tinha 18 anos quando morreu num acidente de mota, no mesmo dia  do transplante de Claire. Ele estava a caminho de casa, vindo de um restaurante McDonalds. Um saco de Chicken McNuggets foi encontrado no seu bolso, quando os médicos removeram a sua roupa, numa tentativa de salvarem a sua vida.

Claire conseguiu encontrar a família de Tim e eles confirmaram que os desejos que ela sentia eram de fato os alimentos de que Tim gostava, incluíndo a cerveja. Eles mantêm-se em contato desde então.

9-Jamie Sherman, Arizona

Acordou de Transplante a Sentir Raiva e Fúria


Jamie Sherman passou por várias cirurgias cardíacas, quando necessitou de um transplante de coração quando tinha 24 anos de idade; sofria de problemas cardíacos desde o nascimento. Quando acordou, após o procedimento ser bem-sucedido, sentia um profundo sentimento de raiva, tão grande que ela queria lutar, embora não conseguisse perceber porquê. Também começou a ter desejos por comida mexicana, especialmente enchiladas de queijo, algo que nunca desejara antes.

6 meses após o transplante, Jamie conseguiu encontrar a família do seu doador, um homem de 29 anos de idade, chamado Scott Phillips. Rapidamente mencionou os seus desejos e gosto por alimentos mexicanos e não ficou surpresa ao saber que a comida favorita de Scott era mexicana, particularmente enchiladas de queijo.

Quando Jamie descobriu que Scott tinha morrido numa briga, num bar de desporto, após ser atingido na cabeça e sofrendo um grande trauma cerebral, compreendeu de onde os seus repentinos sentimentos de raiva tinham vindo. Teorizou que Scott sentira raiva e fúria momentos antes de ser atingido e que, consequentemente, esses sentimentos ficaram trancados no seu coração.

8-Sonny Graham, Geórgia

Suicidou-se da Mesma Forma Que o Seu Doador


Em 2008, Sonny Graham, de 69 anos de idade, suicidou-se, atirando na própria garganta.Tinha recebido um transplante de coração, em 2008. Além de trágica, a morte foi estranha, dado que a pessoa de quem recebera o transplante, Tommy Cottle, se matara exatamente da mesma forma. Talvez o mais estranho de tudo, era que a esposa de Sonny, Cheryl, já tinha sido casada com Cottle.

Sonny, que nunca tinha exibido essas tendências antes, conheceu Cheryl após entrar em contato com a família do seu doador aós o transplante, querendo expressar a sua sincera gratidão. O casal, que tinha quase 30 anos de diferença de idade, apaixonou-se profundamente e quiseram ficar juntos. Para a maioria, eles pareciam felizes.

7- Amy Tippins, Geórgia

De Repente, Tinha Novas Competências


Não só Amy Tippins, de 17 anos de idade, desenvolveu um repentino desejo por hambúrgueres após o seu transplante de fígado em 1993, como também devenvolveu um profundo senso de dever moral e cívico pela sua comunidade.
No entanto, isso não foi a coisa mais estranha que ela notou; parecia que tinha novas habilidades, Notou que queria ir a lojas de ferramentas, sem perceber porquê. Além disso, tinha conhecimento de várias habilidades e era fisicamente capaz de realizá-las.

Amy sofria de doença hepática aguda, o que foi a razão que a levou a ter a necessidade de um novo fígado. Conseguiu encontrar a família do doador e descobriu que ele era um ex-Marechal dos Estados Unidos, chamado Mike James. A sua família afirmou que os hambúrgueres eram uma das suas comidas favoritas e também afirmaram que ele gostava de trabalhar com as mãos e que tinha empreendido vários projetos de construção em casa, antes da sua morte. A sua família também lhe afirmou que o seu objetivo de vida era sempre ajudar e proteger as outras pessoas.

Amy acredita que através do transplante de fígado, ficou com alguns pontos da personalidade de Mike, como o seu senso de dever e algumas das suas habilidades.

6- Cheryl Johnson, Inglaterra

Transplante de Rim Levou a Uma Completa Mudança de Personalidade 


Cheryl Johnson, 37 anos, acredita que, após o seu transplante de rim, ficou com uma certa quantidade da personalidade do seu doador, Afirma que isso aconteceu duas vezes e que, com cada rim, aconteceu uma mudança drástica da sua personalidade.

O primeiro transplante de rim foi em 2001, após 3 anos de diálise. O transplante acabou por fracassar, mas Cheryl afirmou que, imediatamente após o procedimento, tornou-se mal-humorada, o que não fazia parte da sua natureza. Em 2008, um outro rim ficou disponível e, novamente, Cheryl afirmou que o novo órgão alterou drasticamente a sua personalidade. Já não tinha um temperamento curto e os seus hábitos de leitura mudaram.

Cheryl parecia ter um repentino desejo por literatura clássica. Embora Cheryl declarasse que sempre gostara de ler, ela lia romances contemporâneos.

5- William Sheridan, Nova Iorque

Tornou-se um Génio de Arte


William Sheridan refugiou-se em desenhar, como um hobby, para distrair a sua mente enquanto esperava por um doador de coração. Verdade seja dita, ele não era muito bom. No entanto, uma das primeiras coisas que notou após a sua cirurgia, em 2006, foi que, de repente, o seu talento para as artes tinha melhorado 10 vezes.

Depois de concordar em conhecer a família do homem que lhe havia doado o coração, descobriu que o homem, Keith Neville, de 24 anos de idade, tinha sido um artista muito bom. Além das habilidades de arte, William também sentia que tinha de cuidar e amar mais as pessoas, o que atribuiu a Keith também.

O seu caso é apenas um dos vários qe têm sido estudados pelo professor Gary Schwartz, da Universidade do Arizona. Segundo ele, mais evidências sugerem fortemente que os órgão retêm memórias celulares.

4- Bill Wohl, Arizona

Ficou em Lágrimas Com Uma Canção Que Nunca Tinha Sequer Ouvido


O trabalhador executivo Bill Wohl, não gostava muito do ar livre; preferia vagar pela cidade, ao invés de se aventurar no deserto. Até 2000, quando sofreu um ataque cardíaco quase fatal. Felizmente para Bill, recebeu um transplante que salvou a sua vida.

No início, não notou nada de estranho, mas, um dia, uma canção tocou na rádio e reduziu-o a lágrimas, sem nenhum motivo aparente. Ele nunca ouvira a música antes e não fazia ideia de quem a cantava. Descobriu que era uma artista britânica, chamada Sade.

À medida que a sua saúde melhorou após o transplante, começou a ter cada vez mais vontade de estar ao ar livre. Envolveu-se em atividades cada vez mais desafiantes, desde andar de bicicleta a andar de caiaque, algo que nunca lhe despertara o interesse antes.

Quando teve a oportunidade de conhecer a família do seu doador, Bill descobriu que ele era um duplo de Hollywood, chamado Michael Brady. Bill perguntou se Michael gostava da cantora Sade e a sua família afirmou que Sade era uma das suas cantoras favoritas.

Bill suspeita que Michael lhe ofereceu mais do que apenas o seu coração e descreve o fato como "Muito, muito estranho."

3- Charlotte Valandrey, Paris

Atriz Desenvolveu Sintomas de Deja Vu


A atriz francesa Charlotte Valandrey já tinha superado numerosos obstáculos na vida, quando, em 2003, necessitou de um transplante de coração.

Em 1985, com apenas 17 anos de idade, com uma carreira promissora à sua frente, descobriu que tinha SIDA. 4 anos mais tarde, em 1989, confiou a alguém a sua condição e, de repente, a sua carreira promissora estagnou. Num livro que lanço sobre a sua vida, afirmou que acreditava ter sido contagiada com a doença por uma estrela do roch francês, mas não revelou o seu nome.

No mesmo livro, também fala sobre o seu transplante de coração e os efeitos que acreditava terem surgido nos meses seguintes. Afirmou que começou a ter um pesadelo recorrente, em que estava num acidente de carro, no qual era cegada pelos faróis no sentido contrário ao da chuva. Também declarou que os seus gostos tinham mudado completamente. Por exemplo, agora gostava de vinho, quando nunca havia gostado.

Numa viagem para a Índia, sentiu um intenso sentimento de Deja Vu onde quer que fosse e recordou detalhes de locais onde nunca tinha estado. Embora os médicos lhe assegurassem que eram experiências normais para alguém que acabara de passar pelo que ela passara, ela insistiu no seu livro que acreditava que eram os sentimentos e as memórias do seu doador.

2- Shaun Bird, Hull, Inglaterra

Desenvolveu um Talento Para Cozinhar


Sofrendo de doença de pequenos vasos, Shaun Bird enfrentava a possibilidade de que iria morrer dentro de 5 anos, ou talvez menos. Quando a sua condição pioroum a sua pele começou a assumir uma aparência cinza e o seu coração funcionava apenas 20 por cento (um coração saudável funciona cerca de 60 a 70 por cento). Entretanto, foi chamado ao hospital; um doador havia sido encontrado. No dia seguinte, tinha um coração novo.

Shaun estava ciente de que algumas pessoas tinham experimentado mudanças de personalidade estranhas e que algumas chegaram a desenvolver habilidades repentinas que eram atribuídas aos seus doadores. Portanto, não ficou surpreso quando começou a ter um desejo constante de cozinhar. De repente, cozinhava muito bem, algo que antes não sabia fazer e nem tinha qualquer desejo de saber.

1- David Waters, Austrália

Desenvolveu um Desejo Por Burger Rings


David Waters, de 24 anos de idade, sofria de endureciment dos seus ventrículos do coração e tinha apenas meses de vida, quando finalmente recebeu um transplante de coração em 2006. O coração pertencia a Kaden Delaney, de 17 anos de idade, que havia morrido num acidente de carro. De acordo com os seus pais, Greg e Shelley Delaney, ele deu permissão para que os seus órgãos fossem doados.

Greg e Shelley passaram os 2 anos seguintes a tentar estabelecer contato com as pessoas que receberam os seus órgãos. Quando finalmente conseguiram falar com David, descobriram um desenvolvimento interessante; sem nenhuma razão aparente, quando o transplante foi feito, David desenvolveu um desejo intenso por burger rings. Afirmou aos pais de Kaden que era a única coisa que lhe apetecia comer após a cirurgia.

Os seus pais informaram-no de que o seu filho amava burger rings, que eram o que mais gostava de comer. David acredita que ganhou este gosti especial de Kaden, porque ele não gostava muito deles antes do transplante.

Sem comentários:

Enviar um comentário