quarta-feira, 28 de setembro de 2016

O Único Caso Conhecido de um Sacerdote Católico Assassinar Uma Freira

"Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e auto-controle. Contra estas coisas não há lei." - Gálatas 5: 22-23 
 

5 de abril de 1980, foi o dia antes do dia mais importante do calendário cristão, o domingo de Páscoa. Naquele dia, uma freira católica de 71 anos de idade, Margaret Ann Pahl, foi encontrada morta no chão da capela, no Hospital da Misericórdia de Toledo, em Toledo, Ohio.

Pahl, a zeladora da capela, havia sido brutalmente assassinada. Foi estrangulada e depois esfaqueada 31 vezes no rosto, pescoço e peito. 9 das facadas eram na forma do que parecia ser uma cruz invertida, muitas vezes pensado ser um símbolo anti-cristo. 

Após a sua morte, o seu assassino envolveu-a na toalha do altar e cruzou os seus braços sobre o peito. O sangue também foi manchado na sua testa, o que fez parecer uma imitação de insulto dos últimos ritos. O brutal assassinato foi uma morte extremamente degradante e blasfema para alguém que dedicou a sua vida à Igreja Católica.

4 dias depois, um serviço funeral foi realizado para Pahl. Gerald Robinson, o padre católico de Toledo, presidiu o funeral.

A polícia suspeitou de Robinson, devido ao assassinato ter ocorrido na capela que ele dirigia. Foi levado para interrogatório 2 semanas após o assassinato. No entanto, uma coisa muito incomum aconteceu durante o interrogatório; um monsenhor da diocese parou o interrogatório e levou Robinson para fora da esquadra.

Depois disso, o caso ficou complicado; não havia outros suspeitos.

Mas, anos depois, em 2003, a polícia recebeu uma carta de uma mulher que se identificou apenas como "Sobrevivente Doe." Afirmou que Robinson e outras pessoas vestidas de freiras tinham abusado dela sexualmente em rituais satânicos quando ela era criança. Ainda afirmou que alguns dos rituais envolviam o sacrifício humano. Isso deu à polícia uma nova razão para abrir a investigação e investigar melhor Robinson.

Um dos aspetos mais importantes das facadas no corpo de Pahl eram a sua forma estranha. As facadas não pareciam ter sido feitas por uma faca comum. Quando a polícia revistou o escritório de Robinson, encontraram um abridor de cartas em forma de sabre.

Exumaram o corpo de Pahl e compararam o abridor de cartas com as suas feridas e as correspondências eram parecidas. Também descobriram 3 testemunhas que disseram que Robinson estava na área da capela no momento do assassinato. Robinson foi preso e acusado do assassinato da freira idosa.

A 11 de maio de 2006, Robinson foi condenado por assassinato e condenado de 15 anos a prisão perpétua. A polícia acredita que o motivo por trás do assassinato foi que Robinson não gostava da atitude arrogante da irmã Pahl. Ela também havia criticado o serviço da sexta-feira que ele tinha realizado um dia antes do assassinato.

A Sobrevivente Doe entrou com uma ação civil em 2011, mas o tribunal decidiu que o mesmo foi apresentado tarde demais e foi recusado. Robinson morreu a 4 de julho de 2014, na prisão, com 76 anos de idade. É o único caso documentado de um padre católico ter assassinado uma freira católica.

Sem comentários:

Enviar um comentário