quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Top 10 Números Significativos da Numerologia Bíblica

A Bíblia Sagrada é o livro mais lido do mundo. É uma fonte de inspiração para muitos e uma fonte de adivinhação e de códigos secretos. Esta lista desvenda dez números significativos da Bíblia; números que aparecem inúmeras vezes. Muitas pessoas não atribuem importância a esse fato, mas muitas outras consideram que são muito importantes e acreditam que o estudo desses números pode desbloquear o conhecimento do futuro. Interessante.

10- Número 1


O número 1 é usado em toda a Bíblia para indicar apenas uma coisa, o próprio Deus. "O único Deus verdadeiro". O Primeiro Mandamento é "Não terás outros deuses além de mim." Deuteronómio 6:4: "Ouve, ó Israel! O Senhor, o nosso Deus, é o único Senhor." Os hudeus não deveriam adorar vários deuses ao mesmo tempo, como outras civilizações. 1 era o suficiente. A numerologia parece ser mais do que apenas coincidência quando consideramos o capítulo e o versículo, 6:4. 6 mais 4 é igual a 10 (ver #5).
 
Assim como Deus é 1, Satanás também é uma entidade única até ao fim do livro. Sempre que alguém está sozinho no deserto, seja Moisés ou Elias, ou Jesus, não estão realmente sozinhos; de fato, nunca estiveram mais perto do único e verdadeiro Deus do que naquele momento. Jesus é abandonado no final, sozinho, mas lembra aos seus discípulos que não estará sozinho, porque o Pai, estará sempre com ele.

9- Número 22


A Bíblia emprega o número 22 de uma maneira mais aritmética do que a maioria dos números. Considere a forma perfeita para um círculo. 22 dividido por 7 é uma boa aproximação de Pi, que é a relação da circunferência de um círculo com o seu diâmetro. Da primeira epístola, os Romanos, até ao fim, são 22 livros. Isto está de acordo com o que é conhecido como a Roda Canon. A Bíblia pode ser dividida em 3 seções de 22 livros. A primeira é composta por Génesis e pelos Cantares de Salomão, a segunda por Isaías e pelos Atos e a terceira pelos Romanos e pelo Apocalipse. A primeira pode ser considerada como representante do Pai, a segunda do Filho e a terceira do Espírito.

Há 22 letras no alfabeto hebraico. A revelação termina no capítulo 22 da Bíblia. Se as idades dos patriarcas, como afirmadas na Bíblia, forem somadas, o ano de nascimento de Abraão seria 2167 a.C. Desde então, até ao ano da morte de Jesus, 33 d.C., seriam precisamente 2200 anos.

Jesus cita a abertura do Salmo 22, enquanto está agonia na cruz: "Meu Deus, meu Deus, porque me desamparaste?" A cronologia dos homens desde Adão até Jacob totaliza 22 nomes. Jeroboão reinou por 22 anos.

8- Número 40


A Bíblia usa o número 40 para indicar a conclusão ou a realização. É usado 146 vezes ao longo de ambos os Testamentos. É o número hebraico tradicional para a duração de um julgamento de qualquer espécie, quando os tempos são difíceis e a fé de uma pessoa é testada. Os israelitas foram escravizados em cativeiro sob os faraós egípcios durante 400 anos, 10 vezes 40. Deus obrigou-os a vagar no deserto de Sin, em toda a Península do Sinai, durante 40 anos, como castigo pela sua "incredulidade de dura cerviz." "Sin", aqui, não denota pecaminosidade, mas a palavra hebraica para o Deus da lua sumeriana, a partir da qual "Sinai" é derivado. Moisés tinha 40 vezes 3 anos de idade quando morreu, tendo 120 anos.

Moisés passou 40 dias no Monte Sinai a receber a Lei de Deus, mais 40 dias na montanha após o pecado do bezerro de ouro. Elias, cerca de 300 anos mais tarde, passou 40 dias na mesma montanha a adorar Deus.

Há toneladas de referências a "40 dias e 40 noites" por toda a Bíblia. A mais notável são os 40 dias e noites de chuva que causaram o Dilúvio de Noé. Durante este tempo, o mundo inteiro inundou a uma profundidade de cerca de 15 pés acima das montanhas mais altas. Demorou 375 dias para que a água retrocedesse.

Jesus jejuou durante 40 dias no deserto antes de ser tentado por Satanás. Jesus permaneceu na terra por 40 dias depois da sua ressurreição, aparecendo aos Apóstolos e ensinando-lhes, antes de subir para o céu. No momento da sua Ascensão, havia cerca de 120 cristãos na Terra, ou 40 vezes 3.

Demorou cerca de 40 anos desde a Ascensão de Jesus à destruição de Jerusalém, em 70 d.C., pelos romanos.

No original grego koiné, como registado nos códices Sinaiticus e Vaticanus, os mais antigos manuscritos completos do Novo Testamento, Jesus pronuncia a palavra "cumprir" em alguma variação, precisamente 40 vezes ao longo do Evangelhos.

7- Número 12


O número 12 é usado de uma forma semelhante aos números 3, 10 e 40. Indica um tipo de totalidade.

O exemplo mais óbvio do número 12 são as 12 tribos de Israel, mencionadas muitas vezes em toda a Bíblia. A revelação incorpora múltiplos usos do número 12. Depois da tribulação começar, os cristãos seriam arrebatados ao céu para poupá-los dos horrores. 144.000 pessoas, 12.000 de cada tribo de Israel, seriam convertidos ao cristianismo e morreriam como mártires sob o reinado do Anticristo. A Nova Jerusalém, a cidade do Céu, é descrita como tendo 144 paredes côvadas de espessura, símbolos das 12 tribos e dos 12 apóstolos.

As fundações das paredes são feitas de 12 pedras preciosas. A cidade é quadrangular, com paredes de 12.000 de comprimento, largura e altura. Existem 3 portas de cada lado, totalizando 12. No interior, a Árvore da Vida produz 12 diferentes tipos de frutas.

Daniel também está preocupado com o tempo do fim e Daniel tem 12 capítulos. Daniel, em 12:12 declara: "Bem-aventurado é aquele que aguarda e atinge o final dos 1.335 dias." 1+3+3+5 é igual a 12.

Quando Jesus alimenta 5000 pessoas, os seus discípulos regressam com 12 cestos cheios de sobras.

6- Número 4


O número 12 tem muito em comum com os números 4, 3 e 10. Todos indicam alguma conclusão.

Das 12 tribos de Israel, a linhagem de Jesus é seguido de volta a Judá, a 4ª tribo. Existem 4 grandes profetas, Isaías, Jeremias, Ezequiel e Daniel. Há 12 profetas menores, ou 4 vezes 3: sendo assim 3 formas diferentes de indicar a totalidade das profecias do Antigo Testamento.

Existem 4 cavaleiros do Apocalipse. Existem 4 anjos que estavam prontos para os 4 cantos da Terra.

Existem 4 Evangelhos, 4 animais vivos em Ezequiel, Daniel e Apocalipse. Existem 4 pontos da Cruz, o que é mais significativo do que se possa pensar, uma vez que a cruz típica da época era um único pólo vertical, chamado de simplex ponto crucial, ou uma cruz Tau, em homenagem
à capital grega T.

5- Número 10


Os casos em o número 10 aparece são muitos para serem todos mencionados. Além dos Dez Mandamentos, há um total de 603 outros mandamentos, o que perfaz um total de 613. 6 mais 1 mais 3 é igual a 10. 10 é um número psicologicamente satisfatório. Não nos importamos tanto com listas de 9 fatos, como com listas de 10. Temos 10 apêndices nas extremidades das nossas mãos e pés. Por isso, é natural que o 10 seja um número importante em toda a Bíblia. Indica conclusão, tal como 4, 12, 3 e 40.

Noah foi o 10º patriarca antes do dilúvio.

João 3:16 é a tese de toda a Bíblia. É a imagem do número de leis do Antigo Testamento e os seus dígitos somam 10. Deus promete não destruir Sodoma e Gomorra se 10 pessoas justas forem lá encontradas.

Jesus realizou um total de 37 milagres através dos Evangelhos. 3 mais 7 é igual a 10. No original grego, afirma alguma variação da palavra "cumprir" 10 vezes em cada Evangelho. Cita Deuteronómio mais do que qualquer outro livro do Velho Testamento, 46 ​​vezes. 4+6 é igual a 10.

4- Número 6


A Bíblia usa o número 6 para indicar a imperfeição. A semana de trabalho é de 6 dias, mas parece faltar alguma coisa, até que Deus decide deixar de lado um outro dia, em que nenhum trabalho será feito e o descanso será tomado em honra de Deus e da sua grande obra.

O número mais conhecido da Bíblia, é claro, o 666, que simboliza a Profana Trindade. Satanás está sozinho (ver #10) até aos eventos do Apocalipse. Ele é a antítese do Espírito Santo, e não de Deus, pois é o espírito de Satanás que controla as duas bestas. Um deles é o Anticristo, que é a antítese de Deus, e o outro é o Falso Profeta, a antítese de Jesus. Como cada uma dessas entidades é imperfeits, é representads pelo número 6, enquanto que a Santíssima Trindade é representa pelo número 777. É interessante notar que existem 66 livros da Bíblia de King James, como se pudesse estar incompleta.

3- Número 3


3 é o número da Trindade e indica uma totalidade, mas também parece indicar uma santidade interior. Dos 12 apóstolos de Jesus, ele ama 3 deles mais do que aos outros. São Pedro e os irmãos João e Tiago. Entende-se que, porque tinham uma forte fé em Jesus, Jesus os amava mais do que aos outros 9.

Samuel é chamado pelo Senhor 3 vezes antes de perceber as respostas. Satanás tenta Jesus 3 vezes antes de desistir. É no terceiro dia da criação que a Terra é feita. O cartaz da Cruz foi escrito em 3 idiomas. Jesus trouxe de novo 3 pessoas da morte.

Embora a Bíblia não afirme quantos cílios Jesus sofreu, a Lei de Moisés exigia 40 menos 1. 40 foi considerada suficiente para matar um homem (ver nº8), de modo que um chicote foi subtraído. 3 mais 9 é igual a 12 (ver #7); 3 vezes 9 é igual a 27 (ver item seguinte). 3 ao quadrado é 9. 39 é também o número de livros do Antigo Testamento.

Há 3 anjos nomeados na Bíblia: Miguel, Gabriel e Lúcifer. Jesus tinha cerca de 33 anos de idade quando morreu. Ressuscitou dos mortos ao terceiro dia, assim como Jonas esteve no ventre de um grande peixe durante 3 dias.

2- Número 7


A Bíblia usa o número 7 para indicar a perfeição. O Apocalipse refere que Deus possui 7 espíritos, descritos como 7 castiçais.

Noé levou os animais limpos para a arca em conjuntos de 7 pares de cada espécie. Josué conduziu os israelitas, com a Arca, 7 vezes ao redor de Jericó.

"João Batista" é como Matthew se refere pela primeira vez ao homem geralmente entendido como sendo o último dos profetas do Antigo Testamento, que prega de acordo com a Lei de Moisés e prediz a vinda do Messias. "João Batista" tem 14 letras, que é o dobro de 7. "Jesus Cristo" tem 14 letras.

Os 4 animais vivos, que Ezequiel identifica como Cherubim, são mencionados 3 vezes na Bíblia (ver # 6). 4 mais 3 é igual a 7. Ezequiel vê 4 asas e 4 faces em cada besta. 4 vezes 4 vezes 4 é igual a 64 e os animais são introduzidos em Apocalipse no capítulo 4, versículo 6, 64 invertido. A revelação retrata os animais como tendo 6 asas. 6 mais 4 é igual a 10 (ver #5).

O Apocalipse é escrito e enviado para as 7 principais igrejas da Ásia Menor. A tribulação durará 7 anos.

Quando Jesus alimenta 4000 pessoas, os seus discípulos levam de volta 7 cestos. Ele alimenta essa multidão com 7 pães, além de alguns peixes. Jesus ensina um total de 37 parábolas.

Há 31,102 versículos da Bíblia de King James. 3 mais 1 mais 1 mais 2 é igual a 7. Não existem 777777 palavras da Bíblia de King James (isso não seria surpreendente?), mas quase que existe, pois existem 774.746.

A primeira frase do primeiro versículo do Antigo Testamento, no original hebraico, tem 7 palavras. A primeira frase do primeiro versículo do Evangelho de Marcos, que foi o primeiro a ser escrito, tem 7 palavras. Há 7.957 versículos do Novo Testamento. 7 mais 9 mais 5 mais 7 é igual a 28, ou quatro 7.

1- Número 21


A profecia da vinda do Messias de Isaías torna-se explícita no capítulo 7, versículo 14: "Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho." 14 é o dobro de 7 e os dois somam 21.

Há 14 gerações, desde Abraão até Davi, 14 de David ao exílio dos judeus e 14 daí a Jesus. Essas gerações são adivinhadas 3 vezes, portanto, 3 séries de 14, ou 42, duas vezes 21.

Há 21 capítulos do Evangelho de João. Há 3 epístolas de João, com 5, 1 e 1 capítulos, respetivamente. 5 mais 1 mais 1 é igual a 7, vezes 3 epístolas é igual a 21. No Apocalipse, que muitos acreditam ter sido escrito pelo mesmo John, há 3 dispensas da ira de Deus, 7 primeiros selos, 7 trombetas, 7 taças de ira. 7 vezes 3 é igual a 21.

"Deus" ou "Senhor" aparecem na Bíblia de King James 10,875 vezes. 1 mais 8 mais 7+5 é igual a 21, ou 7 vezes 3.

Há 22 capítulos de Revelação (ver #9) e o último capítulo não contém qualquer tipo de violência. É o rescaldo final do absoluto de tudo, descrevendo apenas a perfeição da vida em Nova Jerusalém, o Céu na Terra, com Deus e com Jesus a reinar sobre os tronos, no centro da cidade, onde a morte e a dor nunca mais existirão. Assim, os 21 capítulos precedentes podem ser vistos como a totalidade do juízo de Deus contra os ímpios e a punição e a destruição do mal, seguidos do número 1, um único capítulo por conta própria, "um novo começo". O capítulo 22 termina no versículo 21, "que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos vós. Amém. "2 mais 2 mais 2 mais 1 é igual a 7 (ver #2).

+ Número 46


Apenas por diversão, há uma teoria de que William Shakespeare ajudou a traduzir partes da Bíblia de King James. Não se sabe se ele era fluente em hebraico, mas as suas peças mostram várias frases em latim, grego e francês. A Teoria Baconiana de que Shakespeare não chegou a escrever as suas obras centra-se na premissa de que é conhecido por ter tido apenas uma educação de escola secundária e não teria sido multilíngue ou filosófico. Esta é, naturalmente, uma patentemente falsa analogia.

De qualquer maneira, a ausência de Shakespeare das listas de tradutores e estudiosos oficiais parece evidente à luz da sua estatura literária e ao fato de que a Bíblia de King James foi publicada em 1611, no auge da sua genialidade. Hamlet foi publicado por volta de 1602-1603, Rei Lear, em 1605-1606, Macbeth em 1606, Cymbeline e The Tempest em 1610-1611. Em 1610, quando as equipas de tradução de King James trabalhavam em hebraico, aramaico e em textos de origem grega, Shakespeare tinha 46 anos. Acredita-se que ele, pessoalmente, traduziu o Salmo 46, talvez a mando do Rei James ou dos tradutores, por respeito para com a poesia de Shakespeare. A palavra 46 do Salmo 46 é "shake." A palavra número 47 a partir do fundo é "lança", possivelmente indicando que Shakespeare iria transformar o número 47 no momento em que a Bíblia de King James seria concluída.

Sem comentários:

Enviar um comentário