quarta-feira, 26 de outubro de 2016

10 Criaturas Subterrâneas de Outro Mundo

Alguns animais são tão adaptados a cavernas subterrâneas que perdem a sua coloração e visão, enquanto ganham estranhas e novas adaptações para a vida na escuridão perpétua. Estes organismos são conhecidos como troglóbios. Muitos deles são tão raros que ainda sabemos muito pouco sobre os seus hábitos.

10- As Sanguessugas da Caverna Misteriosa


Encontrada exclusivamente no Mt. da Croácia Velebit, Croatobranchus Mestrovi é uma espécie bizarra de sanguessuga que habita piscinas de água gelada na parte inferior de poços profundos. Completamente brancas, estas sanguessugas possuem crescimentos únicos ao longo dos seus lados e 5 tentáculos e dedos curtos que rodeiam a sua boca. As funções desses tentáculos não são totalmente compreendidas, nem sabemos muito mais sobre o estilo de vida deste animal.

As sanguessugas são famosas por se alimentarem de sangue, enquanto outras espécies como os caracóis e as minhocas se alimentam de detritos podres. Do que esta espécie se alimenta é completamente desconhecido porque poucos outros seres vivos têm sido observados nas mesmas piscinas lacrimejantes.

9- A Primeira Caverna "Oficial" de Insetos


Surpreendentemente, não foi há muito tempo que a ciência não sabia praticamente nada da vida numa caverna. Alguns cientistas ainda acreditavam que havia espécies vivas que poderiam sobreviver exclusivamente em ecossistemas de cavernas e assumiam que a maioria das criaturas encontradas não tinham saído de lá.

Isso tudo mudou quando um único besouro chamado Leptodirus Hochenwartii foi descrito formalmente em 1831. O reconhecimento deste fato, de uma criatura pálida e cega, de pescoço comprido, se ter adaptado completamente à vida numa caverna provocou o início do estudo dos ecossistemas das cavernas.

8- Os Peixes Barbel


Sinocyclocheilus
é uma espécie cuja caraterística mais surpreendente é possuir um crânio que mais parece ser afundado ou que entrou em colapso.

Algumas espécies deste género são peixes de superfície totalmente míopes, algumas são semi-subterrâneas com pequenos olhos fracos e outras são verdadeiros troglóbios, completamente cegos e desprovidos de pigmento. Isso fez do grupo uma valiosa evolução sujeita a pesquisa, demonstrando como os peixes presos no subsolo podem adaptar-se rapidamente em forma de troglóbios.

7- A Aranha Sem Olhos


Embora um número de aranhas sejam conhecidas por viver em cavernas, há aranhas verdadeiramente troglóbias, descobertas em 2012. Nessa altura, a nova espécie, Scurion Sinopodia, foi encontrada numa caverna em Laos.

É transparente e é a única espécie completamente sem olhos, de mais de 1.000 conhecidas. Como os peixes barbos, esta espécie tem vários primos que ainda possuem olhos, um único par fraco em contraste com os típicos 8 olhos daquelas que vivem mais perto das entradas de cavernas ou ao ar livre.

6- Os Caranguejos de Lava


Munidopsis Polymorpha não é tecnicamente um "caranguejo", mas um "galatheidae" encontrado exclusivamente num único tubo de lava sob as Ilhas Canárias, que é realmente o tubo de lava mais longo já descoberto. Excecionalmente, os caranguejos alimentam-se de diatomáceas fotossintéticas microscópicas, que exigem luz solar para crescer.

Toda a oferta do caranguejo de diatomáceas é alimentado pela luz solar que corre através de apenas duas aberturas no teto da caverna. Os crustáceos cegos pastam nas sombras pouco além desses poços ensolarados. Polymorpha também é outro desses animais primeiramente descoberto como fóssil e, portanto, que se acredita ter estado extinto até à sua redescoberta.

5- A Piranha Cega da Caverna


Typhlops Stygichthys
pode ser um dos peixes troglóbios mais ferozes; basta ver a sua grande cabeça e os seus dentes afiados. Como uma espécie de tetra, não compartilha ascendência evolutiva com a piranha.

Um espécime deste peixe foi recuperada no Brasil na década de 1960. Como não houve mais espécimes encontradas há mais de 50 anos, pensava-se que poderiam estar extintos. Em 2010, vários espécimes foram recuperados, embora possam agora ser ameaçados pela redução dos níveis de água nos aquíferos subterrâneos que chamam de casa.

4- O Lagarto-Minhoca Cego


Amphisbaena Ceco
é o único animal da lista que não chega a viver em cavernas. Mas gosta tanto da vida subterrânea que se adaptou em alguns aspetos semelhantes.

Com falta de pigmento, o seu corpo translúcido é rosado como o de uma minhoca. Os seus pequenos olhos são incorporados de forma invisível sob a sua pele e só são capazes de diferenciar a luz da escuridão. Estes répteis totalmente sem pernas são encontrados principalmente em Puerto Rico e alimentam-se principalmente de cupins ou de ovos moles e larvas de formigas.

3- As Salamandras Cegas do Texas


Algumas espécies de salamandras adaptaram-se ao mundo subterrâneo, incluindo duas espécies do Texas.

A Rathbuni Eurycea sem olhos é a mais especializada e mais comum das duas, embora ainda seja uma rara criatura dependente de água. A mais rara é Eurycea Waterlooensis, que possui olhos minúsculos e é observada apenas nos bolsos cheios de águas profundas, abaixo do piso de Barton Springs, em Austin.

Como algumas outras salamandras, estes animais apresentam neotenia, mantendo as suas guelras larvais até à idade adulta.

2- Os Fulgoromorphas das Cavernas


Durante muito tempo, acreditou-se que os ecossistemas tropicais geralmente não suportam cavernas com fauna endémicas. Na verdade, quase não havia troglóbios conhecidos na Austrália até aos anos 1980, quando foi descoberto que a caverna Bayliss possuia uma incrível diversidade de insetos, aracnídeos troglóbios, milípedes e outros invertebrados.

Entre o mais surpreendente destes estavam os troglóbios Fulgoromorphas, que são insetos relacionados a cigarras e comuns ao redor do mundo em pastagens e florestas. Não se esperaria que tal inseto dependente das plantas se adaptasse completamente à vida na caverna, mas essas pequenas criaturas prosperam com os sumos que sugam de plantas e raízes de árvores que penetraram na sua casa sem sol.

1- A Aranha e o Labirinto da Caça


Phasmatocoris Labyrinthicus é a única criatura da lista com a visão bastante decente. As suas peças bucais são fundidas numa única, que usa para injetar veneno paralisante na sua presa e sugar as suas entranhas liquefeitas.

Este inseto indescritível come quase qualquer coisa que consiga agarrar. Mas alimenta-se principalmente de aranhas e tem-se especializado com as cerdas das suas patas dianteiras para arrancar as teias de aranha.

Sem comentários:

Enviar um comentário