sexta-feira, 28 de outubro de 2016

10 Histórias Trágicas da Infância de Charles Manson

Em agosto de 1969, a "Família" de Charles Manson assassinou brutalmente 9 pessoas, como parte de um plano insano para provocar uma guerra racial. A fama das suas vítimas, a maneira horrível como foram assassinadas e a própria marca de loucura de Manson, marcou-o na história como um dos assassinos mais terríveis de todos os tempos.

Nenhum monstro, porém, nasce do nada. Charles Manson também foi uma criança e a sua infância foi repleta de momentos trágicos. Apesar dessas histórias serem tristes, não justificam o que ele fez; apenas podem fazer-nos pensar em como os monstros são formados.

10- A Mãe Chamou-lhe "Sem Nome"


A mãe de Charles Manson era uma menina de 16 anos chamada Kathleen Maddox e so eu pai era um trabalhador temporário com o nome "Coronel", a quem ele nunca conheceu. Kathleen pode ter sido uma prostituta, embora Manson negue que isso seja verdade. Independentemente da forma como ganhava o seu dinheiro, Kathleen estava muito longe de ser a melhor mãe do mundo.

Quando Manson nasceu, nem sequer se preocupou em dar-lhe um nome. Quando os enfermeiros lhe entregaram o papel, ela escreveu "Sem Nome" e até hoje, a sua certidão de nascimento está registada como "Sem Nome Maddox."

Apenas quando Kathleen se casou com William Manson, Charles ficou com o nome completo pelo qual é conhecido hoje. Apesar disso, isso não significa que tenha ganho uma figura paterna de apoio. William desapareceu da sua família antes dele ter idade suficiente para ter memórias.

9- A Mãe Trocou-o Por um Jarro de Cerveja


Segundo a família de Manson, Kathleen negociou Charles por um jarro de cerveja, logo depois dele nascer.

Quando ele ainda era uma criança, Kathleen levou o filho a um restaurante e ele estava a descansar no seu colo quando ela começou a conversar com a empregada. A empregada estava ansioso por se tornar mãe e achou o bebé Manson muito bonito. Então, brincou, dizendo que ia comprá-lo a Kathleen.

"Um jarro de cerveja e ele é seu", foi a resposta de Kathleen. A empregada provavelmente pensou que ela estava a brincar, mas levou a Kathleen um jarro, de qualquer das formas. O que ela não esperava era que, logo que Kathleen terminasse a sua cerveja, se fosse embora do restaurante, deixando Charles para trás.

Manson só voltou para casa porque o seu tio descobriu o que tinha acontecido. Ele encontrou a empregada alguns dias mais tarde e levou o menino de volta à sua mãe.

8- A Mãe Foi Presa Por Roubar Alguém Com Uma Garrafa de Ketchup


Quando Charles Manson tinha 5 anos, a sua mãe foi presa. Ela e um amigo tinham encontrado um estranho chamado Frank Martin, que os levou a tomar umas bebidas. Kathleen decidiu que Martin tinha "muito dinheiro" e chamou o seu irmão, Luther, para ajudá-la a roubá-lo.

Ela pediu a Martin para levá-la a ela, ao seu amigo e a Luther a um hotel. No caminho, Luther fez Martin parar e sair do carro. Luther apontou uma garrafa de ketchup cheia de sal a Martin e alegou que tinha uma arma. Martin percebeu que era mentira, mas Luther acertou-lhe na cabeça com a garrafa e roubou o seu dinheiro.

O grupo escapou com US $ 27 e foi preso pouco depois. Kathleen foi condenada a 5 anos de prisão e Charles Manson foi viver com a sua tia.

7- Não Recebou Nada no Natal; Por Isso, Queimou os Brinquedos Dos Seus Amigos


A família Maddox não era particularmente rica, por isso o Natal não era um feriado mágico. Manson contou que um ano, a sua avó não lhe ofereceu mais do que uma escova de cabelo. "Se escovares o cabelo com ela" afirmou Manson, "serás capaz de voar como o Super-Homem."

Como era uma criança, Manson acreditava nela e escovava o seu cabelo e saltava tão alto quanto podia, mas logo percebeu que isso era ridículo. Para piorar as coisas, os seus colegas tinham recebido uma fortuna em brinquedos, que mostravam alegremente. Consumido pelos ciúmes, Manson chegou a acreditar que eles faziam isso para ele se sentir mal.

Manson vingou-se com o seu primeiro ato registado de violência. Reuniu todos os brinquedos que conseguiu achar e que pertenciam a alguém que ele conhecia, atirou-os todos para uma pilha de lenha e pegou-lhes fogo.

6- Considera o Primeiro Abraço da Mãe a Sua Única Memória Feliz


Depois de 3 anos de prisão, Kathleen foi colocada em liberdade condicional. Em 1942, voltou para casa e foi buscar o seu filho. Alugou os hotéis mais baratos que conseguiu encontrar e levou o seu filho, de 7 anos de idade, para viver com ela.

A sua mãe não se tinha despedido e tentou vendê-lo, mas quando chegou a casa, fez algo que era raro na vida de Manson: Ela abraçou-o. Parece um pequeno gesto, mas para o menino carente de amor, significou muito, tanto assim que, mais tarde na sua vida, Manson recordou o momento do abraço e chamou-lhe a sua "única memória de infância feliz."

A alegria não durou muito. Quando Manson tinha 13 anos, a sua mãe começou a pensar em colocá-lo num orfanato.

5- A Mãe Mandou-o Embora e Ele Nunca Mais Voltou a Viver Com Ela


Kathleen sabia que não estava em condições de cuidar de uma criança, porisso tentou entregar  Charles aos cuidados do estado. A assistência social não estava disponível, mas com algum esforço, conseguiu levá-lo para um reformatório.

Manson não era feliz. Fez alguns amigos, mas não confiava neles. Os seus únicos momentos felizes eram as raras visitas esporádicas da sua mãe, durante as quais ela fazia a promessa de levá-lo para casa quando tivesse dinheiro suficiente.

Depois de 10 meses, Manson não aguntava mais. Fugiu da escola, foi a casa da sua mãe e bateu à porta na esperança de ganhar mais um abraço amoroso. Em vez disso, a sua mãe disse-lhe que não podia lidar com ele, fechou a porta e mandou-o ir-se embora. Nunca o voltou a ir buscar e Manson nunca viveu com ela novamente.

4- Começou a Roubar Lojas Quando Tinha 13 Anos de Idade


Manson não conseguia lidar com o fato de viver no reformatório e planeava sair. Aos 13 anos, começou uma série de assaltos a cada loja da área, tentando economizar dinheiro suficiente para alugar um quarto.

Foi apanhado a roubar uma bicicleta e foi enviado para um centro de detenção juvenil, mas conseguiu sair dentro de 24 horas e continuou a roubar pessoas. Com a ajuda de um colega de classe, começou a cometer assaltos à mão armada na cidade, antes de ser finalmente preso por invadir uma mercearia.

3- Foi Agredido Sexualmente Numa Escola de Rapazes


Depois de ser preso, Manson foi enviado para uma escola de rapazes. Ele odiava estar lá, tanto que fugiu por 2 vezes, mas foi sempre encontrado e enviado de volta para lá. Pouco depois das suas fugas, a razão pela qual queria fugir tornou-se clara.

Manson acusou publicamente a escola de agressão sexual, alegando que tinha sido repetida e consistentemente espancado e violado durante os 3 anos que passara ali. As suas acusações nunca foram provadas, mas definitivamente atraíram as atenções.

Um sacerdote chamado Pai Powers interveio e enviou Manson para uma escola melhor.

Manson, no entanto, já estava afetado psicologicamente e o seu comportamento não se alterou. A sua onda de crimes continuou e foi expulso da escola e enviado de volta a instituições.

2- Era Analfabeto


Quando tinha 16 anos, Manson foi psicologicamente testado enquanto estava na prisão. Os resultados foram preocupantes. Embora tivesse um QI de 109, não conseguia ler ou escrever uma única palavra. Passara 4 anos da sua vida em escolas e mal tinha aprendido alguma coisa.

O psiquiatra que diagnosticou Manson atribuíu a culpa dos seus muitos problemas à sua relação tensa com a sua mãe. Observou a quantidade de "rejeição, instabilidade e trauma psíquico" que Manson tinha experimentado e disse que ele estava constantemente a lutar para impressionar os outros rapazes por causa da sua "falta de amor dos pais."

1- Pediu Para Ficar na Prisão


A infância de Charles Manson foi triste, mas isso não quer dizer que era uma boa pessoa. Mesmo em menino, cometeu muitos crimes hediondos, incluindo a violação de um menino com uma navalha na garganta. Em adulto, já tinha passado metade da sua vida na prisão e era um perigo claro e uma ameaça para a sociedade.

Mesmo Charles Manson o sentia. Quando a sua sentença terminou em 1967, Manson tinha aceitado ser um prisioneiro e não queria sair. Iplorou para ficar na prisão , dizendo que era incapaz de sobreviver fora dos muros da prisão.

O seu pedido foi negado e Manson foi libertado, apesar dos seus próprios protestos. Pouco tempo depois, começou o seu ínfame culto da "Família Manson". Menos de 2 anos depois, foi o responsável por um dos mais ínfames assassinatos em massa na história dos Estados Unidos.

Sem comentários:

Enviar um comentário