segunda-feira, 3 de outubro de 2016

10 Masmorras Assustadoras e Reais

As masmorras eram os locais dos bandidos que quebravam o espírito do indesejado e temido. Mas, os habitantes desses templos de tortura muitas vezes não eram criminosos, eram os presos políticos ou pior, inocentes utilizados como peões na luta pelo poder.

Algumas masmorras eram conhecidas pelos seus cativos infames, outras pelos seus métodos terríveis de tortura. Então, quem eram mais maus: os habitantes das cavernas ou os arquitetos desses palácios da dor?

10- A Prisão Mamertine 


A Prisão Mamertime está apodrecida abaixo da igreja plácida do século 16 de São José dos Carpinteiros. Esta câmara subterrânea de horrores manteve os inimigos mais temidos do Império Romano, que muitas vezes eram presos políticos.

A Prisão Mamertine abrigava o senhor da guerra gaulês Vercingetorix e Simon Bar Jioras, o defensor de Jerusalém. Os historiadores acreditam também que São Pedro foi preso lá antes de ser crucificado de cabeça para baixo por Nero.

O aspeto mais aterrorizante da Prisão Mamertine foi o Tullianum, o nível mais baixo da prisão, construído no sistema de esgoto de Roma. Os presos apodreciam antes de serem estrangulados ou morrerem de fome. Os seus corpos eram atirados sem a menor cerimónia através de uma porta de ferro na extremidade da câmara, que levava ao sistema de esgoto de Cloaca Maxima-Roma.

9- A Masmorra do Drácula


No norte da Túrquia, os arqueólogos desenterraram uma rede secreta de túneis sob o Castelo Tokat. Este labirinto continha um calabouço que abrigava Vlad, o Empalador, o homem que inspirou a lenda do Drácula.

Aos 12 anos, Vlad III da Valáquia foi levado como refém pelo sultão Murad II durante uma reunião diplomática em 1442 e levado embora dessa região longínqua da Anatólia. Nunca poderemos saber os horrores que Vlad enfrentou nas sombras da masmorra.

Depois de escapar do cativeiro, Vlad desenvolveu hábitos desagradáveis. Em 1462, empalou 20.000 pessoas fora da cidade de Targoviste. Esta guerra psicológica era destinada a afastar os otomanos através do puro terror.

Aprendeu essas táticas horríveis com o seu pai, que era apelidado de "Dracul" ("Dragão") devido à sua devoção feroz à Ordem do Dragão. Ou talvez Vlad tenha aprendido essa técnica selvagem com os seus captores otomanos.

8- Os Horrores de Habsburgo 


O Castelo de Spilberk conteve o calabouço mais temido do Império de Habsburgo. Localizado em Brno, na República Checa, o castelo foi construído pelo Rei Premysl Otakar II, em 1277.

No final do século 18, durante o reinado de José II, as masmorras do castelo, originalmente destinadas ao armazenamento, foram convertidas em câmaras de horror conhecidas como o "Calabouço das Nações." Ao longo do século 19, essas câmaras foram embaladas com a política dos prisioneiros, que foram acorrentados às paredes e torturados.

A masmorra permaneceu uma prisão ativa até 1961. Recentemente, as dormidas no palácio da dor subterrâneo tornaram-se disponíveis. Para tornar a estadia dos visitantes o mais autêntica possível, não há eletricidade. Álcool e tabaco são proibidos.

7- A Masmorra de Shakespeare


Pontefract, no Castelo de Yorkshire, foi a masmorra mais temida da Inglaterra. Segundo a lenda, foi construída sobre um cemitério. Pontefract contém uma vasta rede de calabouços que viram muitas vezes morte e miséria. Nomes ainda são riscado nas paredes de poços tortuosos, onde os prisioneiros foram presos.

A vítima mais famosa foi Richard II. Shakespeare sabia a história e utilizou esse local na sua obra sobre o Rei. O escritor refere-se ao castelo como "Pomfret", o seu nome original.

O castelo foi ida e volta entre monarquistas e parlamentares na Guerra Civil Inglesa. Após ganhar o controle, Oliver Cromwell partiu para destruir Pontefract. O castelo está em ruínas magníficas desde então./

6- O Palácio da Inquisição


Em Cartagena, na Colômbia, uma magnífica mansão colonial chamada Palácio da Inquisição foi construída como parte do desejo de Espanha de acabar com a heresia. Uma das caraterísticas mais aterrorizantes do "palácio" era a janela de denúncia, onde os condenados encontram o seu destino.

Uma vez que, para além da janela, os condenado eram levados para a Casa das Masmorras, onde seriam mantidos até aos seus julgamentos e execuções inevitáveis. O Palácio continha um conjunto de instrumentos de tortura, que não eram usados para punir os condenados, mas para extrair as suas confissões.

Em Cartagena, a Inquisição tinha como alvo as bruxas. Ninguém sabe ao certo o que causou esse período de misoginia desenfreada. Alguns suspeitam que possa estar relacionado ao resfriamento do clima, o que resultou em escassez de colheitas e em agitação social.

A Inquisição permaneceu ativa em Espanha até 1834. Também manteve um departamento oficial do Vaticano, até meados do século 19, quando foi rebatizada de "Congregação Para a Doutrina da Fé."

5- O Inferno de Edward Longshanks


Estrategicamente localizado em Northumberland, Inglaterra, o Castelo Chillingham foi um reduto fundamental durante as sangrentas guerras de fronteiras. Edward Longshanks lançou campanhas contra o rebelde escocês William Wallace.

Chillingham era conhecido pelas suas masmorras de tortura. Continham panelas a ferver, barris de picos e gaiolas cheias de ratos famintos que faziam o seu caminho através das vítimas.

As paredes estão cobertas por marcas de arranhões das suas vítimas, que esperavam a morte ao serem atiradas de 6 metros (20 pés) de altura da masmorra. Existem histórias de prisioneiros que se alimentavam da carne dos falecidos.

Dada a sua história violenta, o Castelo Chillingham é considerado um dos lugares mais assombrados de Inglaterra. Muitos afirmam ver o fantasma de John Sage, que era o torturador de Edward Longshanks até Edward ficar sem dinheiro.

Outros afirmam ouvir os gritos do menino azul, que foi emparedado e deixado para morrer. Alguns dizem ouvi-lo a arranhar a parede para conseguir sair.

4- O Palazzo Ducale


As masmorras do Palazzo Ducale eram tão horríveis quanto a sua arquitetura era magnífica. O palácio continha uma câmara de tortura, onde as vítimas eram suspensas a partir do teto, com os braços e as costelas partidas durante esse processo.

Além da câmara de tortura, existiam 7 piombis (celas), onde os prisioneiros aguardavam os seus destinos enquanto ouviam outros gritar. Giacomo Casanova esteve preso lá em 1755.

Com o seu enorme poder político, Veneza era um foco de intrigas. Os venezianos eram encorajados a fazer acusações contra os seus vizinhos em caixas de correio especiais em toda a cidade. As autoridades venezianas também mantinham um arquivo secreto dentro do palácio. Os relatórios continham informações sobre tudo, desde as posições de campo de soldados à vida sexual dos cidadãos venezianos.

3- A Vingança de Warwick


Construído por William, O Conquistador, em 1068, o Castelo Warwick tem uma história longa e sangrenta. A masmorra remonta a 1345, quando a Inglaterra estava nas garras da praga. O complexo de 7 câmaras viu tortura, derramamento de sangue e purulentas sombras.

Até ao século 18, a Inglaterra tinha um dos mais duros sistemas penais do mundo. Mesmo as pequenas ofensivas eram puníveis com a morte. Na década de 1640, o castelo serviu como um Reduto Parlamentar onde os prisioneiros eram mantidos em cativeiro e torturados.

As masmorras de Warwick tornaram-se um destino turístico popular. Os falsos modelos de sangue e em tamanho real de vítimas é aterrorizante. Os guias demonstram alegremente algumas das torturas mais terríveis de Warwick, como arrancar línguas. No primeiro mês após os passeios da masmorra começarem em 2009, 15 pessoas desmaiaram e 4 experimentaram vómitos; inspirados pelo medo.

2- A Masmorra Romântica


O Castelo de Chillon na Suíça foi construído sobre uma entrada rochosa no lago Genebra, na borda dos Alpes de Berna. Apesar da sua localização pitoresca, o castelo é mais conhecido pela sua masmorra.

Construída no século 13 sobre a localização de uma fortaleza, o castelo medieval foi o cenário para o poema épico de Lord Byron, O Prisioneiro de Chillon. O trabalho seguiu um monge, François Bonivard, que esteve preso ali entre 1532 e 1536.

A masmorra foi esculpida na rocha que suporta Chillon. O castelo precisava de uma prisão para controlar o seu interesse financeiro. Chillon fica num ponto de estrangulamento para o comércio em direção ao sul para a Itália, através do Passo de São Bernardo. Há ainda evidências de que os romanos usavam o local como um posto avançado.

Tem sido sempre um lugar ideal para recolher impostos. As pessoas adoram o macabro e a masmorra de Castelo de Chillon continua a ser o destino turístico mais popular da Suíça.

1- O Antro dos Horrores de Geoffrey Portway


As masmorras não são apenas uma coisa do passado. Em 2012, as autoridades prenderam um homem da área de Boston, chamado Geoffrey Portway, por conspirar para raptar, torturar e comer crianças. As fantasias de Portway eram vis, mas o seu calabouço era ainda mais terrível.

Debaixo da casa de Portway, a polícia descobriu uma câmara de horrores que caraterizam uma gaiola de metal, uma mesa de contenção, equipamentos de bondage e um caixão de tamanho infantil. As fotografias retratam equipamentos de açougueiro, cordas e ferramentas de castração.

Não há evidências de que Portway usasse o calabouço para qualquer coisa além de fantasiar. No entanto, uma pesquisa da sua casa descobriu milhares de imagens de pornografia infantil, incluindo muitas em que apareciam crianças mortas.

E Ronald Brown, da Flórida, foi condenado a 20 anos de prisão por pornografia infantil e conspiração para raptar uma criança. Prometeu "sorrisos e risos", enquanto conspirava para violar e comer crianças.

Sem comentários:

Enviar um comentário