segunda-feira, 10 de outubro de 2016

8 Pessoas Inspiradoras Que Aprenderam a Sentir-se Confortáveis na Própria Pele

1- Ciera Swaringen


Uma adolescente destemida decidiu usar a mídia social para mostrar aos agressores que eles não conseguiam perturbá-la. Ciera Swaringen, de 19 anos de idade, nasceu com uma rara condição da pele, congénitos melanocíticos, que cobrem o seu corpo de sinais de nascença.

Ela afirmou "Lembro-me de uma vez estar no autocarro e ouvir um menino a rir-se atrás de mim e a dizer que eu parecia um cão diferente. Isso afetou muito a minha confiança. Era muito nova e ele fez-me sentir que era diferente das outras criança, que havia alguma coisa de errado comigo."

Agora, encara a mídia social, abraçando o seu corpo e mostrando-o com mensagens inspiradoras.

A sua atitude positiva é contagiante, tornando muitos dos seus posts virais, Felizmente, teve o apoio da sua mãe; quando era criança, ela disse-lhe que as suas marcas de nascença eram beijos de anjos.

2- Paige Billiot


Em abril de 2016, apresentou uma sessão de fotos a candidatar-se para comemorar a marca de nascença facial proeminente que exibe com orgulho. Paige Billiot, atriz e cineasta de Los Angeles, nasceu com uma marca vermelha escura que cobre a maior parte do lado esquerdo do seu rosto. A jovem, de 23 anos de idade, colaborou com diferentes fotógrafos para chamar a atenção positiva para a descoloração da pele.

Paige, que estrelou o filme Estrada Para o Inferno, disse que nunca deixou a sua marca de nascença ficar no caminho dos seus sonhos e agora espera inspirar outros com a sua mensagem. Lançou o seu próprio projeto, para combater o estigma em torno de falhas na aparência do corpo. "Ser diferente é o novo normal", afirma na sua página.

3- Giorgia Lanuzza


Por quase uma década, Giorgia Lanuzza suportou as pessoas a pararem e a olharem para ela. Enfrentou provocações cruéis dos colegas da escola e de estranhos e afirma que se sentia diferente e tinha muito medo de ver-se ao espelho. Hoje com 24 anos de idade, sofre de psoríase desde os 13.

Enquanto a maioria das pessoas sofre de pequenas manchas vermelhas em partes do seu corpo, Lanuzza tem 97% do seu corpo coberto de vergões vermelhos dolorosos. Escondeu a sua pele por vergonha durante anos, mas finalmente aprendeu a amá-la e a exibi-la orgulhosamente para encorajar outras mulheres que lutam com psoríase.

A psoríase é uma condição comum que a longo prazo provoca vermelhidão, é escamosa e causa manchas na pele. As manchas podem ser pequenas em tamanho e número, mas em algumas pessoas, são mais extensas e problemáticas. A psoríase não é contagiosa.

4- Redditor Mneneon 


Redditor Mneneon é um estudante universitário de Nova Iorque chamado Jacob, que transformou a sua marca de nascença, que abrange a mão e o braço direito, num mapa de um mundo imaginário. Em vez de cobrir as manchas vermelhas (que se assemelham a pequenas ilhas e vastos continentes), gosta de desenhar em torno delas para criar fronteiras.

Em 2015, tornou-se famoso depois de partilhar fotos com o comentário: "Nasci com um mapa de lugares que não existem no meu braço e mão."

As imagens foram milhares de vezes compartilhadas. Jacob diz que sempre viu a sua marca de nascença como um mapa e acredita que a pele vermelha é a terra e a branca é o mar (pelo menos na sua mão). Demora cerca de uma hora e meia para desenhar o mapa inteiro. Quando lhe foi perguntado se já pensou em transformar o seu trabalho artístico numa tatuagem permanente, disse que não tem certeza de que quer isso.

5- Lexxia Harford


Lexxie Harford, uma mulher de 23 anos de idade, de Staffordshire, recebeu um louvor merecido depois de compartilhar fotos da sua marca de nascença. Publicou uma série de imagens inspiradoras da marca vermelha no lado direito do rosto, explicando que tem orgulho dela.

As belas imagens servem como muito mais do que uma selfie. Lexxie espera que ao compartilhá-las consiga aumentar a consciência das marcas de nascença, abrir uma discussão e incentivar outras pessoas a parar de escondê-las. Afirmou que costumava esonder a sua marca quando era mais jovem, mas que decidiu não fazê-lo mais e abraçar a sua aparência natural após sair da faculdade.

6- Harley Dabbs


Uma sobrevivente de queimaduras que já lutou contra pensamentos suicidas aprendeu a aceitar as suas cicatrizes e planeia tornar-se uma palestrante motivacional. Nativa da Carolina do Norte, Harley Dabbs tinha 2 anos de idade, quando um incêndio em casa deixou 85% do seu corpo coberto de queimaduras. Apesar dos seus ferimentos horríveis, ela desafiou os médicos que acreditavam que tinha apenas 2% de probabilidade de sobrevivência.

A sua pele mal cicatrizada fez dela um alvo para os valentões. Quando era adolescente, lutava contra a depressão e os pensamentos suicidas. Agora com 21 anos de idade, Dabbs tem enfrentado os seus demónios e fez uma tatuagem para marcar a sua mudança pessoal.

Em janeiro de 2016, Kylie Jenner compartilhou uma foto de Harley no Instagram e o post recebeu mais de 500 mil gostos. Juntamente com a foto, Kylie escreveu: "Olho para histórias todos os dias que me inspiram e encorajam. É uma maneira de compartilhar essas histórias com vocês na esperança de que possam ajudá-los também. Tiranizar outras pessoas não é a resposta. Seja gentil com todas as pessoas. Harley, obrigada por compartilhar."

7- Patience Hodgson


O fotógrafo australiano Natalie McComas criou a série "In This Skin" em conjunto com o artista de VSCO Initiative. O seu objetivo é um encontro mundial para que quem vive com uma marca de nascença conte as suas histórias.

A primeira foi Patience Hodgson, vocalista de uma banda australiana, que tem uma grande e rara marca de nascença, conhecida como síndrome de Klippel Trenaway, que cobre metade da sua parte superior do corpo. Hodgson afirmou: "Amo a cor da minha marca de nascença. Quando estou quente, é um vermelho-púrpura, como a cor de algumas ameixas. Quando estou com frio, é de um azul vívido, quase neon. Também gosto do fato dela ser uma espécie de barreira protetora que me protege contra as pessoas que não a aceitam."

8- Cassandra Naud


A indústria do entretenimento pode ser cruel e implacável. É particularmente importante para uma pessoa ser fisicamente perfeita, mas Cassandra Naud, do Canadá, decidiu quebrar os estereótipos a esse respeito.

Cassandra tem uma marca de nascença no rosto que é fácil de detetar. É uma marca que se estende desde abaixo do olho até à bochecha e é coberta de pêlos. É tão diferente que, às vezes, estranhos lhe perguntam coisas acerca dela. Cassandra não se importa. Não tem vergonha dela, porque sabe que é essa marca no seu rosto que a distingue de todos os outros.

Aos seus pais foi-lhes dada a opção de remover a marca de nascença logo depois dela nascer, mas eles tiveram medo que fosse perigoso e que ela pudesse ficar com uma cicatriz no rosto. Enquanto crescia, foi intimidada e considerou a cirurgia para removê-la quando era adolescente. Eventualmente, Cassandra superou todas as hesitações sobre a singularidade do seu rosto.

Sem comentários:

Enviar um comentário