quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

10 Línguas Antigas Com Origens Desconhecidas

As línguas podem fornecer-nos um grande conhecimento sobre a cultura, o estilo de vida, a evolução e os padrões migratórios de uma sociedade. Proporcionam-nos uma visão profunda das mentes dos povos antigos e permitem-nos formar a história do passado distante da humanidade. No entanto, algumas descobertas proporcionaram-nos exatamente o oposto e apresentaram-nos a verdade inquietante de que o nosso passado pode estar envolto num mistério que nunca conseguiremos resolver.

10- Picene Norte


Picene Norte era a língua falada pelos povos de Picentes, que viveram no nordeste da Itália durante o primeiro milénio a.C. A língua Picene Sul foi bem estudada e foi identificada como sendo uma língua italiana distinta da família da língua Oscan-Umbrian. Esta linguagem difere muito de Picene Sul e os linguistas foram incapazes de classificá-la com precisão.

A descoberta das inscrições de Picene Norte foram encontradas numa pequena cidade de Itália, chamada Novilara. A língua estava escrita num tipo de script semelhante ao alfabeto etrusco, mas mantinha várias letras gregas para determinadas consoantes. As caraterísticas gramaticais da linguagem têm perturbado os estudiosos e nenhuma conclusão pôde ser feita a partir das suas descobertas.

9- Etrusco


Etrusco era a língua falada e escrita da civilização etrusca, uma antiga sociedade que existiu na região Toscana da Itália antes do Império Romano. Com uma cultura poderosa e sofisticada, os etruscos foram a primeira grande civilização do Mediterrâneo Ocidental. São muitas vezes vistos como uma sociedade misteriosa e desconhecida, dado que a maioria do que sabemos sobre eles veio de histórias escritas pelos antigos romanos.

A língua dos etruscos é muitas vezes considerada um isolamento da linguagem, não relacionado a qualquer outra língua. Existem poucas línguas no mundo que compartilhem alguma caraterística com o etrusco. A linguagem é altamente flexionada, complexa e possui muitos casos gramaticais. Pouco se sabe de onde a linguagem veio, mas alguns linguistas propõem que faz parte do grupo de hipótese das línguas tirrenas.

8- Basco


A língua basca é falada pelo povo basco do norte de Espanha e algumas partes do sudoeste da França. Embora os estudiosos tenham tentado vincular o basco a outras línguas, os estudos concluíram que não há nenhuma relação conhecida com qualquer outra língua no mundo.

O basco é a única língua pré-romana conhecida que sobreviveu enquanto outras línguas ibéricas se tornaram extintas. Numerosas tentativas têm sido feitas para mostrar uma relação entre as línguas basca, ibérica e afro-asiática, mas nenhuma foi amplamente aceite. O basco tem a posição única de ser uma língua viva, dando-nos uma oportunidade para a compreensão da diversidade linguística dos povos antigos, uma vez que viviam na Península Ibérica.

7- Sumeriano


Considerada extensamente a primeira língua escrita, o sumeriano foi falado na Mesopotânia durante o segundo milénio a.C. O sistema de escrita do sumeriano é um script chamado cuneiforme. São uma série de ideogramas, símbolos e formas abstratas que representam ideias em vez de palavras específicas ou sons. Alguns cuneiformes são decifrados, embora muitas representações diferentes tenham sido estabelecidas. Os linguistas e os arqueólogos ainda debatem sobre a gramática e a sintaxe da linguagem e há apenas algumas centenas de pessoas no mundo com um conhecimento prático da mesma.

Similar a outras línguas antigas, o sumeriano é aglutinante. As palavras podem ser formadas ou usadas com uma cadeia de terminações e sufixos separados para transmitir o que está a ser dito. As origens da língua permanecem obscuras e não há uma resposta consistente para de onde ele pode ter surgido.

6- Ainu


A ilha japonesa do norte de Hokkaido é o lar de um grupo de povos indígenas chamados Ainu, que se pensa seren uns dos primeiros habitantes humanos das ilhas japonesas. Os povos de Ainu são um grupo étnico cultural e linguisticamente diferente do povo japonês e pensa-se que são descendentes dos caçadores-coletores de Jomon-ji que migraram para a ilha em torno do ano 14.500 a.C.

Uma linguagem extremamente ameaçada de extinção, pensa-se que o Ainu é falado apenas por uma pequena percentagem de pessoas. Embora a língua não tenha nenhuma forma escrita, tem sido tradicionalmente escrita usando sos carateres japoneses Kana. Isso tornou a sua conservação extremamente difícil dentro da cultura Ainu.

5- Língua Sicel


Na ilha italiana da Sicília, havia uma antiga tribo de pessoas chamada Siculi. Um dos 3 povos indígenas que vivia na Sicília na época eram os siculos e pensa-se que falavam uma língua indo-europeia, embora nenhuma conclusão concreta possa ser feita com base na falta de provas.

Os Siculi possivelmente vieram das áreas da Itália, conhecidas como Liguria ou Lácio. Tinham a sua própria cultura distinta, que envolvia cultos religiosos e a adoração de muitas divindades. Eventualmente, os Siculi foram assimilados com a cultura helénica levada para a Sicília pelos gregos. A sua linguagem não foi bem escrita até à introdução do sistema de escrita grega e apenas algumas inscrições sobreviveram.

4- Vinca


A língua vinca, também chamada de "velho europeu" é uma linguagem hipotética proposta a partir da escavação de símbolos encontrados em artefatos no sudeste da Europa. Os símbolos são acreditados ser algumas das primeiras formas de escrita no mundo e podem ser pré-datados da suméria cuneiforme e dos hieróglifos egípcios durante milhares de anos.

Os símbolos foram encontrados na área ocupada pelo povo Vinca, que viveu na moderna Roménia ocidental, nas margens do rio Danúbio, cerca de 6000-3000 a.C. Sendo uma cultura misteriosa, pouco se sabe sobre como viveram e como era a sociedade deles. Os símbolos que representavam a sua linguagem provavelmente nunca serão decifrados, uma vez que apenas algumas inscrições curtas foram encontradas numa variedade de artefatos.

3- Hurrian


Hurrian é uma antiga língua extinta falada na área que já foi o Império Hittite. Os eruditos acreditam que os oradores de Hurrian vieram originalmente das áreas montanhosas da Arménia e que migraram da Mesopotânia e da Anatólia durante o segundo milénio a.C. Hurrian foi a língua do reino de Mitanni antes da conquista Assíria.

Apesar de não serem classificados como relativos a quaisquer outros idiomas, os autores Arnaud Fournet e Allan R Bombard publicaram um livro onde descreveram algumas caraterísticas distintas das línguas indo-europeias em Hurrian.

2- Elamita


Elamita era outra língua falada na região da Mesopotânia. A linguagem não foi completamente decifrada, embora os estudiosos tenham alguma compreensão da gramática. Foi escrita pela primeira vez usando um script primitivo que envolvia pictogramas e símbolos logográficos, que foram posteriormente substituídos por cuneiformes sumérios.

Como uma língua aglutinante, o elamita mostra elementos gramaticais semelhantes a outras línguas antigas faladas na Europa e no Oriente Médio. Variações complexas de morfemas e sufixos anexados a substantivos, verbos e pronomes, foram usados ​​para transmitir ideias. Os verbos eram geralmente colocados no final das frases, se não fossem seguidos por outras construções gramaticais.

1- Raético


A língua raética foi falada na região dos Alpes orientais da moderna Itália do Norte e da Áustria Ocidental. Era a língua dos Raeti, um grupo de povos alpinos indígenas, do ano 500 a.C.

Existem várias teorias em relação às origens do raético. Uma delas sugere que o raético, juntamento com o etrusco e o lemnian, fazem parte da família da linguagem tirrena proposta. Outra teoria sugere que a linguagem é um ramo independente das línguas indo-europeias. O raético também pode ser apenas um idioma isolar com influências etruscas e nunca poderemos saber as verdadeiras origens da linguagem.

Sem comentários:

Enviar um comentário