terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Top 10 Mitos Comuns Sobre a Cannabis


A cannabis é provavelmente a droga de uso casual mais popular do mundo, que é ilegal na maioria das nações. Tornou-se tão difundida que muitas pessoas não pensariam duas vezes em pedir para fumá-la em lugares públicos. É uma droga antiga que tem sido usada ao longo da história para fins medicinais, mágicos e prazerosos. Graças à assustadora tática da propaganda nas décadas de 1960 e 1970, há muitos mitos em torno da droga e esta lista pretende esclarecer as coisas.


10- O Armazenamento da Gordura

Mito: O ingrediente ativo da Cannabis, THC, é armazenado na gordura corporal e os seus efeitos podem durar dias ou semanas.

Fato: É verdade que a cannabis (como muitas outras drogas) entra nas reservas de gordura do corpo e é por essa razão que pode ser detetada por muito tempo após a sua utilização, mas essa é a única parte desse mito que é verdadeira. O fato é que os aspetos psicoativos da cannabis armazenados são usados ​​rapidamente e quando os resíduos da droga permanecem, já não têm qualquer efeito sobre a pessoa. Além disso, a presença de THC na gordura corporal não é prejudicial para a gordura, o cérebro ou qualquer outra parte do corpo.


9- A Perda de Memória

Mito: O consumo de cannabis provoca perda de memória e uma redução geral na lógica e na inteligência.

Fato: Este é outro mito que tem elementos de verdade, sem dúvida a razão pela qual é considerado por muitos. Testes de laboratório mostraram que a cannabis diminui a memória a curto prazo, mas somente quando uma pessoa está intoxicada. Uma pessoa que tomou cannabis será capaz de lembrar-se das coisas aprendidas antes de tomá-la, mas pode ter problemas em aprender novas informações durante a intoxicação. Não há nenhuma evidência científica que sugira que isso pode tornar-se um problema permanente quando a pessoa estiver sóbria.


8- A Prova Científica

Mito: A cannabis tem sido cientificamente comprovada como sendo prejudicial.

Fato: Vamos começar com uma citação: "O fumo de cannabis, mesmo a longo prazo, não é prejudicial para a saúde." Esta citação é da revista médica britânica The Lancet (fundada em 1823). Certamente não há um consenso científico sobre o consumo da cannabis e certamente nenhuma prova científica de que o uso casual é perigoso para a saúde.


7- A Perda de Motivação

Mito: O consumo de cannabis causas apatia e falta de motivação.

Fato: Na verdade, os estudos feitos sobre os assuntos de teste em que foram dadas altas doses de cannabis regularmente, durante um período de dias ou semanas, constatou que não houve perda de motivação. Naturalmente, o abuso de qualquer substância intoxicante durante longos períodos irá reduzir a capacidade de uma pessoa para funcionar normalmente, mas a cannabis não é melhor ou pior do que as outras substâncias nesse aspeto. Além disso, os estudos indicam que os consumidores de cannabis tendem a ter empregos mais bem pagos do que os não consumidores.


6- As Estatísticas de Criminalidade

Mito: A cannabis causa crimes.

Fato: Algumas pessoas acreditam que o uso de cannabis leva à violência e à agressão e que isso, por sua vez, leva ao crime. Mas os fatos simplesmente não são comprovados. Uma investigação séria nessa área descobriu que os utilizadores de cannabis são frequentemente menos propensos a cometer crimes devido ao seu efeito na redução da agressão. Dito isto, devido ao número de nações que proibiram a cannabis, a maioria dos usuários no mundo são tecnicamente classificados como criminosos apenas por possuírem a droga.


5- A Morte Cerebral

Mito: A cannabis mata as células cerebrais.

Fato: A cannabis não causa quaisquer alterações profundas na capacidade mental de uma pessoa. É verdade que, depois de tomar a droga, algumas pessoas podem experimentar pânico, paranóia e medo, mas esses efeitos passam e certamente não se tornam permanentes. É possível para uma pessoa consumir a droga e sofrer de psicose tóxica, mas isso não é exclusivo para a cannabis e é muito raro.


4- As Outras Drogas

Mito: A cannabis é a droga de passagem; por outras palavras, leva ao abuso de drogas mais potentes.

Fato:
Para a maioria das pessoas, a cannabis é uma droga terminal, não uma droga de passagem. Os usuários de fármacos de alta resistência, como a heroína ou o LSD, também têm estatisticamente mais probabilidade de terem consumido cannabis no passado, mas isso é apenas brincar com as estatísticas; quando se compara o número de usuários de cannabis com os usuários de drogas mais pesadas, os números são extremamente pequenos; sugerindo que não há nenhuma ligação entre elas.


3- A Potência

Mito: A cannabis é mais potente agora do era no passado.

Fato: A razão porque este mito surgiu deve-se às amostras de agências de aplicação da droga, que são usadas para testar a potência, mas são uma pequena amostra da cannabis no mercado. A grande maioria da cannabis tomada hoje tem a mesma potência que teve durante décadas. De fato, mesmo que a potência fosse muito maior, faria pouca diferença para o usuário, uma vez que a cannabis de potência variável produz efeitos muito semelhantes. Além disso, existem dados estatísticos sobre a potência da cannabis datados da década de 1980, que são mais fiáveis ​​do que os métodos de deteção atuais e que mostram pouco ou nenhum aumento.


2- O Dano Pulmonar

Mito: A cannabis é mais prejudicial para os pulmões do que os cigarros.

Fato: Em primeiro lugar, as pessoas que fumam cannabis, mas não cigarros, tendem a fumar muito menos frequentemente; limitando assim a sua exposição aos perigos do fumo. Além disso, os fumadores de cannabis não estão a inalar os muitos aditivos que os cigarros comerciais possuem. Houve até mesmo evidências de que o fumo da cannabis não tem o mesmo efeito sobre os tubos brônquicos que o fumo do cigarro, por isso mesmo o seu uso pesado pode não levar à enfisema.


1- O Vício

Mito: A cannabis é altamente viciante.

Fato: Menos de um por cento dos americanos fumam cannabis mais de uma vez por dia. Dos usuários pesados, uma pequena minoria desenvolveu o que parece ser uma dependência e confiaram na assistência de serviços de reabilitação de drogas para pararem de fumar, mas não há nada na cannabis que provoque dependência física e a explicação mais provável para aqueles que precisam de ajuda é que têm dificuldades em esquecer o hábito, não o "vício".

Sem comentários:

Enviar um comentário