quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

10 Casos Horríveis de Corpos Encontrados em Barris

Corpos foram encontrados dentro de barris de madeira em todo o mundo. Nova Iorque, em particular, teve a maior quantidade de corpos encontrados em barris. Essa era uma forma popular da máfia italiana eliminar os corpos no início do século XX. Proporcionava ainda mais choque porque os corpos eram descobertos porque a máfia não fazia sequer alguma tentativa para esconder os barris.

Muitos dos "assassinatos de barril", como eram chamados, nunca foram resolvidos.

10- O Rum Com Sabor a Humano


Um comerciante de vinho da França prometeu a um amigo um barril de delicioso rum em 1891. Quando o seu amigo recebeu o barril, estava tão animado que teve que prová-lo imediatamente. Ao prová-lo, descobriu que o rum tinha um sabor singular; voltou a prová-lo e, sem mudar a sua opinião, quis tentar perceber o que passava e abriu o barril. Dentro do barril estava o corpo da esposa do comerciante de vinhos.

A polícia foi chamada e, ao chegar à casa do comerciante de vinhos, descobriu que o comerciante de vinhos tinha cometido suicídio. Ele deve ter percebido em algum momento que enviara o barril errado de rum e, em vez de enfrentar o julgamento, suicidou-se.

9- Os Pescadores Encontraram Algo Brutal


No outono de 1909, 2 pescadores foram pescar no rio James, na Virgínia. Conseguiram puxar para cima um barril de farinha que estava pregado e fechado em ambas as extremidades. Cheios de curiosidade, abriram uma das extremidades. Dentro do barril estava o corpo de uma pessoa severamente decomposta.

O barril e o corpo foram entregues à polícia, que disse que iria investigar o assunto. Não foram feitos outros relatórios.

8- De Cabeça Para Baixo Num Barril de Água


Em 1929, Henry Davies, um jardineiro, afirmou que tinha acabado de retornar a sua casa em Wales, quando encontrou a cabeça da mulher virada para baixo dentro de um barril de água. Em vez de tentar remover o corpo da sua esposa para ver se ela poderia ser ressuscitada, ele entrou em contato com a polícia. Quando lhe foi perguntado porque razão não tirou a sua esposa da água, ele alegou que não cnseguira empurrar o barril. Felizmente para a justiça, o médico legista não acreditou nele.

O corpo da esposa foi examinado e descobriu-se que a sua morte não fora causada por afogamento. Ela fora espancada até à morte. As mãos do seu marido foram examinadas e ele tinha escoriações nos nós dos dedos.

No julgamento, uma testemunha testemunhou ouvir gritos do "assassinato" a virem da casa Davies, mas não investigou os gritos. O marido foi considerado culpado de assassinato intencional.

7- O Assassinato da Máfia 


Quando a maioria de nós pensa na máfia, pensamos na década de 1920 ou em quando os EUA declararam guerra aberta contra a máfia nos anos 50. O que muitos de nós não sabemos é que a máfia italiana tem vindo a fazer o seu negócio desde os meados do século XIX.

Em 1903, a máfia italiana de Nova Iorque mostrou-se quando um corpo foi descoberto dentro de um tambor. Os jornais relataram que o corpo pertencia a um homem que fornecia informações sobre a máfia ao Serviço Secreto. Ele foi descoberto, teve a garganta cortada e o corpo foi enfiado num tambor de cinzas. Um casaco velho foi atirado por cima da abertura do barril e o próprio barril foi deixado à vista na calçada. Uma mulher das limpezas fez a horrível descoberta.

6- A Mulher Dobrada ao Meio no Barril


Pouco depois da batida da máfia, na primavera de 1903, outro cadáver foi encontrado recheado dentro de um barril em Nova Iorque. Descartar cadáveres em barris estava subitamente a tornar-se uma tendência.

Neste caso, o corpo era de uma mulher. Era italiana, então pode ter havido um empate com a máfia. Acreditava-se também que ela era da classe alta, porque as suas mãos não mostravam sinais de trabalho duro. Ela tinha sido morta, despojada de todas as roupas, dobrada ao meio e atirada para um barril. O seu assassino colocou o barril numa rua de negócios e ele foi descoberto por 2 rapazes, enquanto caminhavam para o trabalho.

5- O Canadá Tem as Pessoas Mais Estranhas


Com o "Mistério de Montreal", o Canadá atingiu os jornais em todo o mundo em 1910 com o seu próprio assassinato de barril. Quando a história foi relatada, um barril chegou à estação ferroviária de Montreal. Era dirigido a um zelador que trabalhava numa faculdade que tinha fechado alguns anos antes da chegada do barril.

A curiosidade obteve o melhor da natureza humana e o barril foi aberto. Lá dentro estavam os "restos congelados de um homem idoso". O corpo foi inspecionado, mas não havia sinais exteriores de danos corporais. Tudo o que era conhecido era que o barril fora enviado de uma cidade não revelada em Ontário.

4- Esmagado em Meio Barril


3 rapazes estavam a cuidar das suas vacas em Staten Island no inverno de 1878. Ao caminhar, notaram as bordas redondas de um barril enterrado no chão. Perguntando-se se havia alguma coisa dentro do barril, agarraram nas varas e começaram a sacudir a sujidade. Só desceram alguns centímetros na terra antes de descobrirem os restos de um braço humano.

Os rapazes estavam sem dúvida horrorizados e correram a chamar a polícia. O barril foi cavado para fora da terra e descobriram que era apenas um meio barril. O corpo, lá dentro, era de uma mulher, que tinha sido esmagada para encaixar no pequeno espaço: "Os braços da mulher estavam dobrados no seu peito, os seus membros inferiores estavam dobrados e achatados contra os seus ombros e a sua cabeça dobrada à frente entre os joelhos. "Os seus olhos e a sua pele tinham-se decomposto e os seus dedos caíram quando eles a removeram do barril."

3- Clan Na Gael


A Organização Republicana Irlandesa, conhecida como Clan na Gael, nos Estados Unidos, foi criada para libertar o seu povo dos britânicos no final dos anos 1800. Muitas coisas más ocorreram durante esse tempo, incluindo a "Guerra da Dinamite", onde os americanos irlandeses protagonizaram uma guerra de terrorismo contra a Grã-Bretanha.

Uma das vítimas na sua guerra foi Dr. Cronin, de Chicago. Foi assassinado e o seu corpo estava dentro de um barril. O barril foi marcado com a palavra " traidor " e foi despejado na margem do Lago Johanna.

Acredita-se que o Dr. Cronin, um membro do Clan na Gael, acusou o conselho da organização de desviar dinheiro. Foi rotulado de traidor e acusado de ser um espião britânico. Desapareceu a 4 de maio de 1889. O seu corpo foi encontrado a 11 de novembro do mesmo ano.

2- Os Assassinos Italianos


Em 1903, um homem italiano sentou-se a comer quando foi atacado de repente por mais do que um assaltante. Foi finalmente morto depois de sofrer 13 feridas de facas. O seu corpo foi então colocado dentro de um barril e deixado numa esquina da cidade de Nova Iorque. Após a descoberta, o corpo foi pensado ser o de Quattrocci, um homem que se pensava ser parte de alguma sociedade ultra-secreta.

A investigar o caso, a polícia foi ao local de trabalho do Quattrocci e encontrou-o lá, bem vivo. Levaram-no para o necrotério, onde se maravilharam com a sua semelhança com o morto. Ninguém identificou o corpo morto por medo de vingança.

1- O Fumo


Uma descoberta terrível foi feita numa cidade mineira da Pensilvânia em 1906. Um homem estava a viajar ao longo de uma estrada traseira quando viu fumo a sair de um tambor de madeira. Parou para ver o que era e descobriu os restos carbonizados de um corpo.

O corpo era o de uma jovem. Tinha sido assassinada, colocada detro de um barril, coberta de óleo e queimada. O legista descobriu feridas de machado no pescoço, provavelmente feitas para a cabeça caber lá dentro. As suas pernas também estavam partidas.

Houve problemas a identificar o corpo. Um mineiro, cuja esposa desapareceu várias semanas antes do barril aparecer, foi preso. O primo da esposa viu os restos do cadáver e disse que não era a mulher desaparecida. Um açougueiro também viu o corpo e não coseguiu fazer a identificação. Mais tarde, depois de reunir todas as provas, o detetive do condado concordou que o marido não tinha assassinado a sua esposa. Tinha que ser o corpo de alguma outra mulher que não era dessa área. Caso encerrado.

Sem comentários:

Enviar um comentário