quinta-feira, 11 de maio de 2017

10 Fatos Sobre Chimpanzés Que São um Reflexo Obscuro Para a Humanidade

Há uma parte de nós mesmos que podemos ver nos chimpanzés. São os nossos ancestrais vivos mais próximos, criaturas que compartilham 99% do nosso ADN e que se comportam mais como seres humanos do que qualquer outra espécie na Terra.

São um vislumbre da parte mais vil da nossa natureza. São a encarnação viva da coisa obscura e animalesca que existe dos humanos. São uma visão terrível da humanidade, sem restrições.

10- Existem Chimpanzés Assassinos em Série


Em 1975, Jane Goodall testemunhou o nascimento do primeiro chimpanzé assassino em série. O seu nome era Passion e não matou sozinha. Passou para a geração seguinte, ensinando os seus filhos a aterrorizá-los, a matá-los e a canibalizá-los.

A primeira vítima foi um chimpanzé chamado Gilka. Era uma mãe nova, sentada com o seu filho pequeno, quando Passion apareceu e saltou sobre ela, atacando-a e batendo-lhe até que fugisse. Então, agarrou o recém-nascido de Gilka, matou-o, comeu a sua carne e compartilhou-o com os seus filhos.

Os seus filhos saborearam a carne do outro chimpanzé. Quando Gilka deu à luz novamente 1 ano depois, a filha de Passion, Pom, atacou Gilka, perseguindo-a para que Pom pudesse roubar, matar e canibalizar o bebé de Gilka novamente. Então, 1 mês depois, Pom atacou novamente, dessa vez canibalizando a criança de um chimpanzé chamado Melissa.

Embora Goodall tenha testemunhado apenas 3 ataques, logo percebeu que, nos últimos 2 anos, apenas um bebé em todo o grupo tinha sobrevivido até ao primeiro mês. Passion estava a atormentar todas as mães chimpanzés.

Para manter os chimpanzés vivos, Goodall tinha que ter uma equipa que seguisse Passion e os seus filhos para todos os lugares que fossem. A equipa de Goodall perseguiu os assassinos em série quando tentaram matar outra criança. O filho mais novo de Passion, um chimpanzé chamado Prof, estava a começar a seguir os seus passos.

9- Ficam Viciados em Pornografia e Álcool


Uma família uma vez tentou criar um chimpanzé chamado Lucy como se fosse humana. Deixaram-na sentar na mesa do jantar e jantar como um ser humano. Mas, a chimpanzé caiu nos mesmos vícios que os humanos. Logo, Lucy estava a beber gim, uísque e vinho. Passava o tempo a folhear revistas pornográficas e a masturbar-se com uma parte de um aspirador.

Não foi a única. Como os humanos, os chimpanzés bebem álcool e vêm pornografia e ficam viciados. Um chimpanzé, que foi alimentado com álcool e tabaco para a diversão de turistas russos, teve que passar por reabilitação para voltar ao normal.

Mas não é apenas algo que acontece quando os seres humanos interferem. Os chimpanzés naturalmente procuram pornografia e álcool. Um grupo inteiro de chimpanzés na Guiné, África Ocidental, descobriu como absorver etanol das palmeiras. Ficam regularmente bêbados e tornam-se agressivos.

No Zoológico de Sevilha, deram a um chimpanzé chamado Gina uma TV e um comando. Não só aprendeu a usar esses dispositivos, como também descobriu quais canais mostravam pornografia - e não via nada além disso.

8- Seguem Tendências de Moda


Um chimpanzé chamado Julie foi visto uma vez com um pedaço de grama no seu ouvido. Não servia para qualquer propósito. Não comia, não estava doente e isso não a ajudava a fazer nada. Mas ela mantinha-o lá e, sempre que ele caía, ela colocava-o novamente.

Aparentemente, os outros chimpanzés pensavam que ter uma lâmina de grama pendurada na sua orelha era muito giro. Pouco depois de verem Julie, começaram a copiá-la. Logo, todo o grupo tinha pedaços de grama a sair das suas orelhas.

Os pesquisadores descobriram que poderiam colocar um desses chimpanzés noutro grupo e obter o mesmo efeito. Assim que um chimpanzé via aquilo, imitavam. Tornar-se-ia a sua identidade de grupo. À medida que se espalhava, tornava-se uma expetativa. Ou se usava um pedaço de grama no ouvido ou era considerado estranho.

7- Prostituem-se Para Comer


Dizem que a prostituição é a profissão mais antiga - e se os chimpanzés são uma indicação, pode ser verdade. Quando os chimpanzés procuram companheiros, geralmente pagam por isso.

Os chimpanzés machos caçam, procuram e roubam mais alimentos do que precisam para que possam ser potenciais parceiros. Isso tem um grande impacto sobre as suas vidas sexuais. Quanto mais alimento um chimpanzé tiver, mais companheiros recebe. Na verdade, um chimpanzé que esteja disposto a pagar por sexo vai acabar por ter mais atenção feminina do que o macho alfa.

O melhor exemplo da prostituição animal, porém, vem de outro tipo de macaco - o capuchinho. Os pesquisadores fizeram um experimento para ver se os capuchinhos conseguiam entender a moeda, dando-lhes fichas que poderiam trocar por comida. Os capuchinhos entenderam e rapidamente começaram a usar as moedas para pagarem por sexo.

Os capuchinhos machos foram vistos a entregar as moedas às fêmeas, que deixariam os machos terem relações com elas. Então, assim que os machos terminavam, as fêmeas levavam as fichas que haviam acabado de ganhar aos pesquisadores para comprarem uvas.

6- Violam e Batem Nos Seus Companheiros


A prostituição é realmente melhor do que a alternativa. Normalmente, quando um chimpanzé macho quer um companheiro, não pergunta. Consegue através da violência.

Os chimpanzés machos encontram as fêmeas e batem-lhes sem razão, para terem sexo. Os machos arrancam o cabelo das fêmeas e batem-lhes até elas perderem a vontade de escapar. Então, os machos violam-nas brutalmente. Pior ainda, os machos até raptam e assassinam os bebés das fêmeas para que elas queiram acasalar de novo.

A violência é especialmente comum em chimpanzés de baixo nível. Os chimpanzés machos que são geralmente recusados ​​dependem de espancamentos e abusos para fazer sexo muito mais frequentemente do que os machos dominantes. Mas, quando as fêmeas deixam os machos fazerem o que querem, isso não é bom para elas. Se elas são apanhadas com um macho fraco, os machos de alto escalão batem-lhes para elas sentirem vergonha.

Ninguém está totalmente seguro. Embora os chimpanzés evitem o incesto, podem ter que fugir. Os chimpanzés machos foram vistos a atacar as suas próprias mães para term sexo. As mães resistem-lhes desesperadamente, correm e são espancadas brutalmente pelos seus próprios filhos.

5- Os Chimpanzés Bebés Brincam Com Armas


Os chimpanzés bebés brincam com brinquedos. Para as fêmeas, esse jogo envolve praticar a maternidade. Foram vistas a apanhar varas e a embalá-las como se fossem bebés.

As fémeas bebés representam os movimentos da maternidade como uma menina com uma boneca. Quando recebem brinquedos humanos, a mesma coisa acontece. As meninas embalam bonecas e fingem que estão a segurar os seus próprios filhos.

Os machos, no entanto, não se importam com as bonecas. Em vez disso, apanham varas e usam-nas como armas. Quando são dados brinquedos humanos aos machos bebés, eles escolhem armas falsas para brincarem e baterem nos outros.

É algo que também vimos nos seres humanos. Mas, através dos chimpanzés, parte da verdade da nossa natureza é revelada. Os chimpanzés são socializados ou pressionados em normas de género. Para eles, é instintivo. Quanto mais testosterona têm, mais gostam de brincar e de matar.

4- Dominam Através da Violência


Quando um chimpanzé quer liderar o seu grupo, não negocia. Torna-se violento. Isso não é incomum para os animais de carga, mas os chimpanzés levam isso um pouco mais longe do que a maioria. Podem ficar incrivelmente brutais.

Um chimpanzé chamado Frodo assumiu um grupo que estava a ser observado por Jane Goodall. Ela conseguiu ver toda a sua ascensão ao poder, desde o momento em que nasceu. Desde o início, ele foi incrivelmente agressivo. Se viesse alguém tocar numa rocha, ele agarrava numa pedra maior e atirava-lhe.

Com o tempo, Frodo atacou o seu irmão e espancou-o para ganhar domínio sobre o grupo. Apenas bater no seu irmão, porém, não era suficiente. Frodo sabia que ainda havia outra ameaça: Jane Goodall. Para provar que estava acima de todos os outros, Frodo bateu-lhe, pisou-a e arrastou-a. Sempre que tentava levantar-se, ele batia-lhe.

Depois foi mais longe. No meio da noite, Frodo roubou um bebé humano. Arrancou a menina recém-nascida para longe da sua mãe, arrastou-a para a selva e matou-a. Depois, Frodo comeu o bebé e deixou os seus restos pendurados numa árvore para deixar o mundo saber: fosse humano ou chimpanzé, Frodo não temia ninguém.

3- Fazem Armas e Planeiam Ataques


Os chimpanzés no Senegal foram vistos a fazer armas brutas. Recolhem varas, arrancam os ramos e descascam a casca para aguçar uma ponta, forjando uma espécie de lança. E depois caçam.

A forma como usam essas lanças é ainda mais horrível do que se imagina. Não as usam para derrubar animais maiores. Em vez disso, atacam bebés que estão a dormir e repetidamente cortam-nas.

Também planeiam os seus ataques. Isso foi observado num chimpanzé chamado Santino, que vive num zoológico sueco. Tornou-se agressivo após a puberdade e matou o outro chimpanzé que estava sozinho na sua gaiola.

2- Tiveram Guerras Salariais Nos Últimos Anos


Poucos animais matam a sua própria espécie. Podem caçar outros animais ou formar grupos e caçar juntos. Mas poucos procurarão e matarão um membro da sua própria espécie. Os chimpanzés são uma das poucas espécies que não só matam a sua própria espécie, como também têm guerras.

Os chimpanzés geralmente lutam por território. Os grupos reúnem-se para marchar para a terra de outro grupo ou para perseguir os invasores. Primeiro, dão ao inimigo a oportunidade de fugir. Depois, tentam intimidar-se uns aos outros gritando, matando ou batendo nas raízes de árvores como tambores de guerra.

Às vezes, isso assusta os outros chimpanzés. Mas, outras vezes, não. Depois, entram em plena luta, batendo e brutalizando-se uns aos outros, deixando os seus inimigos marcados ou matando-os totalmente.

A primeira guerra de chimpanzés observada foi a Guerra do Chimp Gombe e durou pelo menos 4 anos (1974-1978). 1 grupo de chimpanzés tinha-se dividido em 2, apelidados de Kahama e Kasakela. Pouco depois, Kasakela ficou violento. Esperaram até que um chimpanzé Kahama estivesse sozinho e indefeso. Então, bateram-lhe brutalmente.

Jane Goodall nomeou o líder do primeiro assassinato "Satanás".

1- Canibalizam os Seus Inimigos


Quando as guerras são ganhas, os chimpanzés arrancam os braços dos seus inimigos e comem os seus restos mortais.

Um escritor descreveu ver uma pilha de chimpanzés a lutar por algo que não podia ver no rescaldo de uma batalha. Quando o caos terminou, um chimpanzé saiu com os despojos: um bebé morto carregado na sua boca.

Rasgou partes do seu corpo e compartilhou com os outros. O grupo envolveu-se num ritual de canibalismo juntos. Até mesmo os bebés saíram e imploraram por um pedaço da carne do chimpanzé morto.

Ninguém sabe porque fazem isso, mas os chimpanzés terminam as suas guerras a canibalizar bebés. Alguns pensam que é pelas proteínas, mas outros pensam que é um ritual primitivo que une os chimpanzés num massacre compartilhado.

Os impulsos que empurram os chimpanzés para essas ações horríveis parecem existir também nos seres humanos. Foram encontrados restos canibalizados de seres humanos de há 15 mil anos atrás. Os primeiros vestígios da guerra humana remontam a 7.000 anos, quando 34 pessoas, 16 das quais eram crianças, foram perseguidas e espancadas até à morte enquanto fugiam para salvar as suas vidas.

Sem comentários:

Enviar um comentário