quinta-feira, 1 de junho de 2017

10 Fatos Sobre os Homens Que Assassinaram Júlio César

60 homens mataram Júlio César. 60 pessoas com 60 vidas separadas que os levaram ao ponto em que estavam dispostos a cercar um homem no Senado e se revezavam a empurrar adagas no seu corpo.

Oficialmente, podem ter atacado César para impedi-lo de se coroar rei, mas houve pequenos momentos em cada uma das suas vidas os colocaram no caminho do assassinato. A maioria desses homens foram esquecidos, mas cada um tinha uma vida própria. Cada um dos assassinos de César tem uma história que o conduziu finalmente a transformar-se um assassino - e uma história da precipitação que seguiu.

10- César Dormia Com a Mãe de Brutus


César não era apenas amigo de Brutus - era amante da sua mãe. Antes de Brutus ter nascido, César dormia com a sua mãe, Servilia.

Brutus quase certamente sabia disso. Havia rumores sobre o relacionamento de César e Servília em Roma. César também não tentou escondê-lo. Tinha uma tendência para prodigalizá-la com presentes, chegando a gastar 6 milhões de sesterces para comprar-lhe uma única pérola.

Quando Servilia envelheceu, ficou pior. De acordo com esses rumores romanos, a envelhecida Servilia certificou-se de que César não fosse deixado com uma cama vazia. Em seu lugar, enviou a sua própria filha - a irmã de Brutus - para o quarto de César.

Provavelmente não foi por isso que Brutus matou César, mas foi por isso que viveu o suficiente para fazê-lo. Brutus teria sido morto por insurgir-se contra César na sua guerra contra Pompeu, mas César ordenou que os seus homens não o magoassem.

Em parte, queria manter Brutus vivo para manter Servilia feliz - mas havia mais. César dormia com Servília quando ela ficou grávida. Ele não tinha a certeza absoluta, mas achava que havia uma boa probabilidade de Brutus ser seu filho.

9- Cassius de Parma e Cicero Espalharam Rumores de Que César Era Gay


Assassinato não é a única maneira de ir contra alguém. Os rumores de Roma eram cruéis. Se não se pudesse matar alguém com uma faca, podia matar-se a sua reputação com uma história.

Cícero começou o rumor de que César era gay - e, o que era mais condenável em Roma, que estava no lado recetor. Espalhou rumores de que César tinha perdido a sua virgindade para o rei da Bitínia, Nicomedes IV. Nicomedes, afirmou Cícero ao mundo, mandou um dos seus acompanhantes levar o jovem César para o seu apartamento, onde o rei o esperava, deitado num sofá roxo.

Cassius de Parma manteve os rumores vivos, mesmo depois de ajudar a apunhalar César até à morte. Tinha uma língua perversa - quando Octavian foi declarado herdeiro de César, insultou diretamente a sua mãe por ser pobre.

Isso foi apenas o começo, no entanto. Também espalhou o rumor de que Octavian só tinha sido feito herdeiro porque concordou em ser o brinquedo sexual de César. Era um rumor terrível para se espalhar, mas Cassius apenas o espalhou, não o inventou. O rumor tinha sido iniciado pelo maior defensor de Octavian: Mark Antony.

8- Lucius Pontius Aquila Foi Levado a Cometer Assassinato Porque se Sentia Intimidado


Originalmente, um dos assassinos de César, Lucius Pontius Aquila, só queria organizar um protesto pacífico. Encontrou formas de mostrar em silêncio, mas desafiadoramente, a sua oposição ao poder crescente de César. Quando César atravessou Roma numa carruagem, celebrando uma vitória na Espanha, Aquila protestou recusando-se a levantar - um pequeno protesto silencioso contra um tirano.

César, porém, não o deixaria ir. Quando Aquila estava sentado, incitou-o, gritando-lhe profeticamente, "Vem, Aquila! Retira a república de mim!"

Aquila poderia ter sido superado, mas César dedicou uma semana inteira a gozar com ele. Durante os dias seguintes, cada vez que fazia uma declaração no Senado, afirmava "Ou seja, se Pontius Aquila me permitir."

Pouco depois, Aquila começou a reunir-se com conspiradores e juntou-se na sua trama para matá-lo. O que poderia significar que um dos assassinos de César estava lá porque foi intimidado.

7- César Também Dormiu Com a Esposa de Servius Sulpicius


Brutus não era o único conspirador que tinha que lidar com a vergonha de ver um ente querido a sair do quarto de César. César dormia com muitas esposas de homens poderosos - incluindo a esposa de um dos seus assassinos.

Servius Sulpicius estava casado com uma mulher chamada Posthumia, que, nas palavras de um escritor romano, foi "cortejada" por Júlio César. Como a mãe de Brutus, Júlio César gastaria uma fortuna a comprar presentes para a esposa de Servius. Depois, mandá-la-ia para casa, enfeitada com jóias, para um homem que estava a ferver em silêncio com impulsos assassinos.

A maioria dos registos da vida de Servius são as críticas contra César, culpando-o por não dar o suficiente respeito ao Senado e acusá-lo de ser a razão pela qual perdeu a eleição consular. Ainda assim, Servius ganhou a longo prazo. Não só ajudou a matar Júlio César, como o seu bisneto acabou por tornar-se um Imperador de Roma.

6- Caesar Perdoou Quintus Ligarius


Quintus Ligarius poderia ter sido executado antes de ter a oportunidade de matar César. Lutou contra César na Guerra Civil Romana e tinha sido um lutador tão cruel que logo se viu em julgamento por isso.

Ligarius só sobreviveu porque o seu advogado, Cicero, era um dos melhores oradores de Roma. Cícero conseguiu dar uma defesa onde publicamente admitiu que o seu cliente era culpado e ainda convenceu o tribunal a não condená-lo.

Afirmou a César que a maior virtude era a misericórdia: "Não há ação com que os homens se aproximem mais dos deuses do que conferir segurança aos outros". Ao proteger Ligarius, asseguraria a segurança de todos em Roma e acabaria com o derramamento de sangue que assolava a cidade.

César ficou tão emocionado que estava a tremer. Deixou cair os documentos das suas mãos, lutando contra as lágrimas. Cícero tinha razão - era hora de pôr fim à violência. Decidiu demonstrar a misericórdia a Ligarius e trazer uma era de paz e proteção para Roma.
E Ligarius apunhalou-o até à morte.

5- Gaius Trebonius Tentou Fazer Com Que Marco António Matasse César


César pode ter morrido nos Idos de março, mas não foi a primeira tentativa contra a sua vida. Um dos seus assassinos, Gaius Trebonius, havia tentado antes - com a ajuda de Marco António.

Trebonius e Marco António juntaram o seu dinheiro e contrataram um assassino para assassinar Júlio César. A tentativa de assassinato falhou e César tinha uma ideia bastante forte de que Marco António estava por trás dela.

Não fazia ideia, no entanto, de que Trebonius fazia parte dela, então Trebonius estava livre para voltar a planear a morte de César. A sua amizade com Marco António acabou por ser a chave para o enredo. Quando Marco António descobriu o que estava a acontecer e tentou salvar César, Trebonius encurralou-o e distraiu-o enquanto César era esfaqueado.

4- Decimus Descobriu Que Era Herdeiro de César


A maioria dos homens que mataram César tinha lutado contra ele na Guerra Civil Romana, mas Decimus era um pouco original. Não só se tinha apoiado em César, como se tornara extremamente próximo do homem que assassinaria. César deu-lhe o comando sobre um dos maiores exércitos de Roma e até o adotou como seu filho.

De alguma forma, os conspiradores conseguiram convencer Decimus a participar no assassinato, mas César não tinha a menor ideia de que o seu amigo estava contra ele até isso acontecer. No dia anterior ao seu assassinato, convidou Decimo para beber vinho, onde os dois falaram sobre o "melhor tipo de morte".

Depois de César morrer, a sua vontade foi lida ao público - e Decimus descobriu que, não só o homem que matou pensava nele como um filho, como o designara como seu segundo herdeiro. Se Octaviano tivesse morrido antes de César, Decimus teria herdado toda a riqueza de César.

3- Lucius Minucius Basilus Foi Morto Pelos Seus Escravos


Lucius Minucius Basilus encontrou um fim cármico. Morreu quase exatamente como matara César.
Basilus talvez não tenha sido o Imperador de Roma, mas era um homem rico e, para os seus próprios escravos, era um tirano como Júlio César. Batia nas pessoas que trabalhavam para ele, em alguns casos mutilando os seus corpos e deixando-os desfigurados por não fazerem o seu trabalho corretamente.

2 anos depois de Basilus ajudar a assassinar César, os seus escravos ficaram fartos. Reuniram-se em torno dele e mataram-no, vingando-se do seu tirano.

Como César, a morte de Basilus causou as garista próprias lutas de poder. Um conman forjou uma falsa declaração em como era herdeiro de Basilus e a sua família teve que lutar para manter a sua herança. Em menor escala, o caos que criara em Roma foi atirado para a sua própria casa, levando a sua família a enfrentar estranhos numa guerra legal. A sua família perdeu. A sua riqueza acabou por ser entregue às pessoas nomeadas de forma forjada, que confiscaram tudo o que ele possuía, enquanto a sua família ficou sem nada.

2- A Multidão Rasgou um Homem ao Confundi-lo Com um Suposto Assassino


De todas as mortes que se seguiram a César, a mais brutal foi a morte de Helvius Cinna. Ele não era um dos assassinos de César - apenas compartilhava o apelido com Lucius Cinna.

Helvius Cinna era amigo de César e sentiu que era seu dever assistir ao funeral. Quando chegou lá, porém, um dos seus amigos reconheceu-o e chamou-o pelo seu nome, sem ter noção de que estava a assinalar a sua sentença de morte. A multidão, assim que ouviu o nome "Cinna", correu até Helvius e começou a espancá-lo. Uma multidão inteira agarrou-o e puxou-o, literalmente rasgando-o em pedaços no meio de um funeral.

Ironicamente, Lucius Cinna, a pessoa que pensavam que estavam a matar, também não era um dos assassinos. Lucius Cinna tinha sido aglomerado com os assassinos para fazer um discurso de encontro a César, mas era apenas um protestante calmo vitimado pelo rumor romano. Mesmo que tivessem matado o Cinna certo, ainda teriam matado um homem inocente .

1- Os Assassinos Cunharam Uma Moeda Para Comemorar o Assassinato


Cerca de 1 ano depois de César morrer, uma nova moeda entrou em circulação em torno de Roma, emitida pelo senado romano, para comemorar o momento em que todos se juntaram e esfaquearam alguém até à morte.

A moeda não era sutil sobre ele. De um lado, tinha as palavras "Eid Mar", que significa "Os Idos de Março", abaixo de uma fotografia de 2 punhais, um pequeno lembrete para se certificarem de que ninguém se esqueceria que mataram um consular.

Do outro lado estava o rosto de Brutus - o que deve ter provocado um pouco de controvérsia. Normalmente, somente deuses aparecem em moedas romanas. Colocar o seu próprio rosto numa moeda romana era como auto-titular-se Rei de Roma. Júlio César tinha-o feito e foi uma das razões pelas quais foi morto.

Porém, Brutus colocou o rosto em moedas romanas - sugerindo que era o rei de Roma em moedas que incentivavam as pessoas a matar os reis romanos.

Sem comentários:

Enviar um comentário