sexta-feira, 6 de outubro de 2017

As 10 Principais Fobias de Que as Pessoas Sofrem

A fobia é o medo extremo ou irracional ou a aversão a algo. Os seres humanos têm tendência para as fobias. Certas fobias são consideradas normais, toleráveis ​​e fáceis de lidar, como a Pirofobia (medo do fogo) ou a Talassofobia (medo do mar). Esses são alguns exemplos de fobias que são relativamente fáceis de gerir. 

No entanto, algumas pessoas sofrem de fobias incomuns e extremas. Essas fobias não são apenas difíceis de gerir, podem afetar de forma significativa e negativa a vida da pessoa e das pessoas ao seu redor. 

10- Haphephobia


Haphephobia é o medo de ser tocado. Nestes casos, o toque humano pode ser doloroso. Em alguns casos, o medo é específico para apenas um género, enquanto noutros o medo relaciona-se a todas as pessoas. 

A confissão de AJ, um designer gráfico de 23 anos de idade, dos Estados Unidos, dá-nos uma visão sobre a fobia. AJ sente dor sempre que alguém o toca. A sua fobia é tão perturbante que, numa altura da sua vida, lembrava-se de cada vez que uma pessoa o tocava. 
Este é um tipo de fobia considerado muito estranho. Não só alguém que sofra da fobia irá ter uma vida incomum, como será muito difícil lidar com ela. 

9- Ergophobia


A Ergophobia é o medo do trabalho. É francamente assustador que as pessoas possam sofrer deste tipo de fobia. 

Lorna Liebenberg sofre de Ergophobia. Durante 17 anos, Lorna quase não trabalhou. Sempre que pensa em trabalhar, uma sensação de medo avassaladora aflige-a. O caso de Lorna era tão perturbador que sempre que tinha um novo emprego o seu medo aumentava. Apesar de ter muitas vezes bons chefes que eram como pais para ela, ainda temia o ambiente de trabalho. Sem surpresas, teve sempre grandes dificuldades financeiras ao longo da sua vida. 

8- Neophobia


A Neophobia é o medo de algo novo, sejam situações, lugares ou coisas. As pessoas que sofrem desta fobia geralmente têm problemas com a tentativa de novos alimentos, hábitos ou horários. Sociologicamente, a Neophobia explica porque razão as ideias, as invenções, as modas, a moral e outras mudanças sociais, são muitas vezes evitadas apesar das suas vantagens lógicas. A realidade mais absurda da Neophobia é que é fácil de ver em retrospetiva, mas é mais difícil ver onde isso pode ter um efeito sobre nós agora. 

Uma das causas da Neophobia é que as pessoas estão tendenciosas em relação às coisas como estão agora e contra as mudanças. Todos os avanços do século 19 , que incluem forças policiais nacionais, iluminação, educação em massa, regulamentação social, direito, organização económica e industrialização, foram todos opostos pela maioria das massas mal educadas, principalmente por razões que agora entendemos como emocionais mas ilógicas. 

A Neophobia alimentar é uma das formas mais comuns do medo. De acordo com a pesquisa, fazer as crianças comerem alimentos que não experimentaram antes poderia fazer mais mal do que bem. O estudo sugere que isso poderia levar a que os jovens em adultos fossem ansiosos e sofressem de baixa auto-estima. A Neophobia não é apenas uma fobia bizarra, pode causar danos substanciais.

7- Philophobia


A Philophobia é o medo de relações. Está intimamente relacionado a uma experiência traumática anterior que envolve amor e relações. Se uma pessoa teve um fracasso no relacionamento passado, como o divórcio, pode vir a sofrer de Philophobia. A Philophobia também pode ser o resultado de uma educação em que a pessoa viu os altos e baixos da relação dos seus pais. Além disso, testemunhar alguém a enfrentar a turbulência das relações pode fazer com que a pessoa desenvolva ansiedade extrema sobre a formação de um vínculo amoroso. 

Como seres humanos, as relações emocionais positivas são essenciais para que possamos prosperar, sejam familiares ou românticas. Quando uma pessoa expressa qualquer tipo de interesse romântico em alguém com Philophobia, a pessoa tende a recuar e correr na direção oposta. A pessoa tende a colocar uma espécie de parede quando percebe que alguém está a tentar aproximar-se. 

Geralmente, a Philophobia é restrita a parceiros românticos, mas em certos casos, pode estender-se a familiares e amigos. A Philophobia pode perturbar a saúde física e a saúde mental. Várias pessoas que sofrem de Philophobia fizeram confissões públicas chocantes do que é. Essas confissões pintam uma imagem sórdida. A única boa notícia sobre a condição é que pode ser tratada. A Terapia Comportamental Cognitiva (TCC) e a Terapia de Exposição são os tratamentos mais efetivos para a Philophobia.

6- Ablutophobia


Ablutophobia é o medo do banho, lavagem e limpeza. É uma fobia específica que é mais comum em mulheres e crianças do que em homens. A fobia manifesta-se de formas diferentes, desde o medo de tomar banho até à fobia completa de toda e qualquer lavagem. A Ablutophobia é mais provável que seja causada por instâncias traumáticas únicas ou específicas, que podem relacionar-se a acidentes infantis que envolveram água ou pais abusivos ou negligentes que podem ter implementado a água como castigo.

Num caso bizarro relatado por várias redes de notícias, um adolescente britânico chamado Thomas Townsend encontrou uma morte prematura devido a Ablutophobia. Townsend estava a usar uma grande quantidade de desodorizante para compensar a falta de banho. Finalmente morreu por inalação em excesso de gás butano contido no desodorizante que usava. O seu caso é muito triste considerando o fato de não ser um viciado em drogas ou álcool. 

A Ablutophobia pode ser tratada por um profissional de saúde mental. O objetivo de qualquer especialista é primeiro visar o fator incitante inicial que causou o medo irracional e extremo da pessoa. 

5- Nomophobia


A Nomophobia é o medo de estar sem telemóvel. Uma das suas causas é o vício da tecnologia. Além disso, as pessoas que tiveram experiências negativas ao serem deixadas sem um telemóvel também podem desenvolver a fobia. 

A Nomophobia, embora bizarra, afeta muitas pessoas. Num estudo realizado no Reino Unido, em 1.000 pessoas, 66 por cento admitiram sofrer de Nomophobia. A Nomophobia é comum em todas as nações do mundo, considerando a crescente taxa de dependência do telemóvel e das tecnologias. 

De acordo com uma pesquisa, quanto mais jovem se é, mais propenso é sofrer da fobia. A faixa etária mais jovem, composta por pessoas com idades compreendidas entre os 18 e os 24 anos, supera a lista em 77%, 11% a mais do que o grupo seguinte, com idades compreendidas entre os 25 e os 34 anos. Os resultados da pesquisa também mostram que as mulheres são mais propensas a ficar irritadas quando estão sem o telemóvel. Os principais impulsionadores da Nomophobia incluem o tédio, a solidão e a insegurança. Superar o medo pode ser um desafio; mas a boa notícia, no entanto, é que não é necessária intervenção médica.

4- Decidophobia


Algumas fobias parecem ser uma brincadeira, sendo que esta faz parte delas. A Decidophobia é o medo de tomar decisões. As pessoas que sofrem da fobia geralmente são incomodadas por ter que fazer escolhas. A causa da Decidophobia geralmente é uma experiência má com a tomada de decisões durante a infância ou em qualquer outro ponto da vida. Um exemplo seria uma decisão imprudente que levaria a consequências devastadoras ou testemunhar o mesmo acontecer a outra pessoa. Como resultado, os as pessoas geralmente preferem que as decisões sejam tomadas por outra pessoa. 

Existem certos sinais que revelam se uma pessoa sofre de Decidophobia. Um deles é que as pessoas geralmente evitam fazer escolhas. A Decidophobia grave é tão angustiante que as pessoas dedicarão esforços sérios para assegurar que não sejam responsáveis ​​pela tomada de decisões nas suas vidas. Outro sinal revelador é depender constantemente de outras pessoas para ajudar com as decisões. 

A Decidophobia não é apenas uma fobia incomum, é uma com muitos efeitos negativos, pois a indecisão frequente interfere com a vida das pessoas. Se não for tratada, pode gravemente devastar a vida de uma pessoa.

3- Heliophobia


A Heliophobia é o medo exagerado ou irracional da luz solar. Uma das causas mais prováveis ​​é a informação mal interpretada. Por exemplo, uma pessoa que acredita que a exposição excessiva à luz solar causará cancro da pele pode começar a sofrer da fobia. Além disso, uma pessoa que sofreu anteriormente queimaduras solares também pode desenvolve-la. 

Pode pensar que a Heliophobia é rara, mas muitas pessoas sofrem da fobia. Lucy Jeffries, uma mãe de 20 anos, recusou trabalhar e ir a encontros, temendo que tais atividades a expusessem ao Sol. O seu caso é tão grave que sofre de ataques de pânico sempre que está exposta à luz solar. O medo de Lucy começou imediatamente depois de um tumor maligno ser removido da sua glândula tiróidea. Consequentemente, desenvolveu um forte medo do cancro, o que a levou a sofrer de Heliophobia.

2- Genophobia


A Genophobia é o medo psicológico irracional da relação sexual. As pessoas que sofrem da fobia podem ficar aterrorizadas com o sexo ou qualquer coisa que o envolva. A Genophobia pode desenvolver-se devido a uma experiência sexual desagradável, como violação ou abuso sexual. A vítima pode reviver o trauma várias vezes; e, consequentemente, essa pessoa pode desenvolver a fobia. Além disso, a Genophobia pode desenvolver-se como resultado da ansiedade do desempenho, especialmente em pessoas que não possuam experiência sexual ou se tenham abstido do sexo por um período prolongado de tempo. 

Sophia Birch sofre de Genophobia. O caso de Sophia é tão perturbador que o seu amor de infância abandonou-a devido à falta de sexo. Sophia não só tem medo do sexo, como também tem medo de ver uma cena sexual num filme romântico.

1- Glossophobia


A Glossophobia é o medo de falar em público. Uma pessoa que sofra da fobia é incapaz de controlar um nervosismo esmagador que resultará sempre que for obrigada a falar publicamente. Essas pessoas podem inclusive sofrer uma crise nervosa quando são confrontadas com falar em público e tendem a evitar completamente esses cenários.

A Glossophobia pode ser causada por um trauma relacionado ou predisposição interna. A maioria das pessoas que sofre de Glossophobia sentem-se angustiadas por terem sido envergonhadas à frente de outras pessoas. O medo pode ser tratado com Psicoterapia. Muitas pessoas são capazes de superar a fobia com Terapia Comportamental Cognitiva. O príncipe Harry sofre desta fobia.

Sem comentários:

Enviar um comentário